Nesta semana, as eleições de diretórios e filiações agitaram a semana política de Mato Grosso do Sul. Partidos começam a mostrar movimentação de olho nas eleições municipais de 2024.

A prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes, assinou a filiação ao PP nesta quinta-feira (1º). Eleita como vice-prefeita pelo Patriota, a gestora municipal disse que vai “trazer novos projetos para Campo Grande”.

O vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSD), presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, discursou durante o ato de filiação da prefeita Adriane Lopes ao Progressistas. Ele destacou que a mudança é um ‘ato de inteligência’.

No evento, o filho mais velho da chefe do Executivo e do deputado estadual Lídio Lopes (Patriota), Matheus Lopes, negou intenção de candidatura no próximo ano.

Eleição de diretório em Campo Grande

A eleição da diretoria municipal do MDB de Campo Grande começou com um candidato e chegou a ter três possíveis postulantes à presidência. O vereador Dr. Jamal e o chefe de gabinete Djalma Santana disputariam ao lado de Ulisses Rocha.

Contudo, o partido se reuniu e entrou em consenso. Assim, nesta sexta-feira (2), elegeram Ulisses como presidente do MDB de Campo Grande.

Presidente nacional do Republicanos, o deputado federal Marcos Pereira veio a Campo Grande nesta sexta-feira (2) para posse do deputado estadual Antônio Vaz como presidente estadual e do vereador Betinho, como presidente municipal da sigla. 

Denúncias

O deputado Zeca do PT disparou novamente contra indígenas na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul). Na terça-feira (30), ele pediu a demissão do secretário executivo dos Povos Indígenas, Eloy Terena — nomeado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Neste dia, indígenas de MS se manifestaram na Alems. Um dia depois, na quarta-feira (31), Zeca voltou a disparar contra o secretário-executivo. O parlamentar disse que secretário indicou cunhado para cargo no Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena).

prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra (PSDB), foi denunciado por supostamente utilizar caminhões de obra pública na própria fazenda. Contudo, o gestor nega o uso do maquinário e afirma que usou ‘dez caminhões de terra’ da obra de pavimentação.

Outra denúncia envolvendo o prefeito da cidade foi arquivada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Assim, Zeca do PT disse que vai pedir punição ao promotor que arquivou a investigação e afastamento de Nelson Cintra.

Por fim, ainda tratando de denúncias, os vereadores de Bela Vista votaram favoráveis à abertura de comissão processante que pode cassar o mandato do prefeito Reinaldo Miranda Benites, o Piti (PSDB).

Prestação de contas

A Prefeitura de Campo Grande publicou o balanço do primeiro quadrimestre de 2023 nesta semana. Quem compareceu na Câmara para apresentar os números foi a secretária de Finanças Municipal, Márcia Hokama.

Então, questionada, a prefeita Adriane Lopes alegou ‘conflito de agendas’. Na prestação de contas, o secretário municipal de saúde, Sandro Benites, afirmou que existem 22 medicamentos em falta na rede pública de saúde de Campo Grande.

Além disso, vereadores de Campo Grande entraram com ação popular na Justiça para pressionar o Consórcio Guaicurus a cumprir o contrato. Pediram que a Agereg (Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos) e a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) cobrem do Consórcio Guaicurus o cumprimento do contrato.

TCE-MS

A procuradora da República, Lindôra Araújo, pediu a prorrogação por mais um ano do afastamento dos conselheiros do TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul) Waldir Neves Barbosa, Ronaldo Chadid e Iran Coelho das Neves.

No entanto, o juiz da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande negou pedido para bloqueio de bens de Waldir Neves, bem como da Dataeasy Consultoria e Informática.

Nesta semana, o TCE-MS aprovou com ressalvas as contas de 2022 do governo de Reinaldo Azambuja (PSDB). Além disso, deputados de MS aprovaram reajuste de 12% para os servidores do Tribunal.