A menos de 100 metros, é possível ouvir e ver o caminhar das águas do Rio Aquidauana. Inspirado neste local pantaneiro é que, há 47 anos, nasceu o restaurante Amarelinho, com uma peixada típica na hora do almoço, que leva gente de todo Estado a “encher a barriga” e comer peixe de tudo quanto é tipo.

Pensando nisso, o Cliente Oculto fez um bate e volta para conhecer o local em , a cerca de 140 quilômetros de Campo Grande. Inclusive, diz a lenda, que um dos caldos do local é feito com água do rio e seria afrodisíaco. Bora provar e ver se é bom?

Ao chegar, encontrei o local reformulado, pulando de um galpão aberto para outro muito maior, onde antes funcionava o estacionamento. Letreiro novo, mesas de madeira reforçadas, confortáveis e o garçom chega na mesa com o cardápio.

Ao distribuir os cardápios, pergunta se existe alguma preferência e nos deixa à vontade para escolher. Logo saltam aos olhos as opções: pastel, isca e costelinha de pacu, tilápia, linguiça de “peixe” e queijo, além de tilápia e pintado à milanesa, ao molho branco, a urucum e com camarão, entre outros.

Escolhas foram tilápia, bife e ‘prata da casa’

Filés de tilápia e bananas fritas estavam sequinhas. Foto: Cliente Oculto/Jornal Midiamax
Filés de tilápia e bananas fritas estavam sequinhas. Foto: Cliente Oculto/Jornal Midiamax

Para provar, as escolhas foram tilápia à milanesa, que vem três filés, arroz, pirão, salada e banana frita, além de pintado a urucum – prata da casa – e um bife com fritas, já que sempre tem alguém na mesa que diz que não come peixe (e não sabe o que está perdendo!).

No caso das bebidas, optamos por suco natural de abacaxi com hortelã e suco de laranja para os acompanhantes. Mesmo com parte das mesas ocupadas, nos deram no máximo 25 minutos para os pratos estarem prontos. Chegaram em menos de vinte.

Arroz estava saboroso, banana frita e tilápia sequinhas e com tempero maravilhoso, tudo suficiente para “limpar o prato”. Já a salada, algo que também foi questionado para as outras pessoas, estava aparentemente amarga. Alguns disseram ser o tempero, porém, foi o que sobrou na mesa.

Bife à cavalo. Foto: Cliente Oculto/Jornal Midiamax
Bife a cavalo. Foto: Cliente Oculto/Jornal Midiamax

Segundo prato avaliado foi o pintado a urucum. Servido em uma travessa de porcelana, cuja apresentação já aparenta ser muito saboroso, o prato realmente serve duas pessoas.

O molho é receita tradicional da casa, lembrando por vezes um gosto de cheddar e que misturado ao peixe fica delicioso.

Já o bife a cavalo com fritas recebeu aprovação máxima: macio, suculento e com as batatas ao ponto. A quantidade também atende tranquilamente uma pessoa e até sobra, caso não seja alguém com muita no momento.

Para sobremesa, existiam opções de brigadeiro de colher, pudim e sorvetes.

No almoço tem peixada à vontade

Pintado à urucum é a 'prata da casa'. Foto: Cliente Oculto/Jornal Midiamax
Pintado a urucum é a ‘prata da casa’. Foto: Cliente Oculto/Jornal Midiamax

No entanto, é a peixada à vontade, servida na hora do almoço e com único de R$ 83 por pessoa, que leva inúmeros clientes ao local e inclusive fez estampar fotos de famosos nas paredes, como Antônio Fagundes, e Sérgio Reis, entre outros.

“Tem um caldo lá que dizem ser afrodisíaco e feito com água do rio. E é uma peixada deliciosa. Você come muito bem mesmo e fica ali vendo o rio Aquidauana a menos de 100 metros”, falou o entrevistado, que saboreou caldo de piranha, pintado à parmegiana, costela de pacu, filé de pintado frito, pintado a urucum e pirão, além dos acompanhamentos de arroz, banana frita e salada.

Veja como foi a experiência e nos conte… também faria um bate e volta para provar esta peixada?

Confira os locais por onde o Cliente Oculto já passou:

Saiba Mais