Esperar o final de semana, encontrar um bar para ver o time do coração, apreciando uma boa ‘cervejinha’ gelada, quem não gosta? Desde os fanáticos por até aqueles que vão só pela resenha e companhia, o programa já se tornou tradição para muitos campo-grandenses.

Entretanto, a ‘saidinha’ acaba pesando no bolso de muitos. Refém dos bares localizados na região central de Campo Grande, muitos torcedores precisam encarar preços altos de porções e bebidas. Ainda assim, é possível fugir das principais ruas da cidade para assistir o time do coração e se reunir com amigos?

Com a missão de encontrar um estabelecimento do tipo, o Cliente Oculto entrou o Tex Lounge Bar, localizado na esquina entre as ruas General Camilo Gal e Albert Sabin, no bairro Taveirópolis.

O bar, lounge e tudo mais!

Em um primeiro momento é difícil entender a real proposta do local. Não fossem as redes sociais, seria difícil adivinhar que o local transmite partidas dos principais campeonatos.

A decoração é simples e foge das grandes telas encontradas em bares já tradicionais, ainda assim ali está uma TV na parede preparada para transmitir as partidas.

O Cliente Oculto chegou por volta das 18:30 no local, no momento o Corinthians vencia novamente pelo Paulistão – para tristeza de quem escreve este texto. No momento, o local estava vazio e algumas poucas mesas eram ocupadas.

Com funcionários atenciosos e simpáticos, o atendimento consegue ser superior a diversos estabelecimentos já conhecidos da Capital. Ao chegarmos, escolhemos uma mesa ao lado de fora por conta do calor. Entretanto a parte interna é aberta e parece não ser das mais quentes.

Em pouco tempo, um funcionário foi até nossa mesa e questionou se já conhecíamos o local. Ao respondermos ser a primeira vez, ele tratou de explicar como tudo funcionava.

O local não trabalha com sistema de comanda. Primeiro o cliente deve comprar a bebida ou porção que deseja no caixa e então aguardar na mesa, até que o produto seja levado.

Cardápio reduzido, até demais

Antes de decidirmos o que iríamos ‘beliscar’ durante o jogo, já era esperado um cardápio reduzido, sem muitas opções de salgados ou coisas do tipo. Ainda assim, o Cliente Oculto se surpreendeu com a pequena quantidade de opções.

Vale considerar que o local não se trata de um restaurante ou lanchonete, não tendo a alimentação como foco principal. Porém, esperávamos uma quantidade maior de opções.

As porções clássicas, como torresmo, pastelzinho frito, coxinha ou até mesmo costelinha de porco não estavam presentes. Com isso, fomos no que tinha: batata, peixe e calabresa frita.

Pedimos as três e uma boa torre de chopp. A torre chegou em poucos minutos e logo depois as porções, em cerca de 20 minutos todo o pedido estava na nossa mesa.

A ‘gelada’ é boa?

O chopp surpreendeu. Gelado e saboroso, melhor que muito bar ‘hypado’ onde se paga R$ 10 para beber um copo de água amarela.

As marcas eram variadas e ditavam o valor do pedido. Do mesmo modo, é possível comprar garrafas long-neck, latas e refrigerantes. Assim, o Cliente Oculto optou pela torre de chopp de 2,5 litros.

Em cerca de 5 minutos a torre já estava na mesa. Vale considerar que o local ainda estava com diversas mesas vagas.

O gosto não surpreende, mas cumpre a proposta

É sempre importante sabermos o que procuramos para não nos decepcionarmos ao conhecer um local. Imagina experimentar pastel em uma sorveteria?!

Assim, sabíamos que o local se tratava de um espaço de confraternização, conversa e coisas do tipo, com as porções possuindo uma única função: ser um ‘engana estômago’ entre um copo e outro.

Com isso em mente, as porções oferecem o que se é esperado. A batata é congelada, comprada em mercado, como na maioria dos estabelecimentos. A calabresa estava boa, mas o destaque vai para o peixe empanado.

Com aquela ‘crostinha’ crocante e um sabor leve, o peixe ganhou elogios da mesa, o molho de alho que o acompanha também eleva o sabor. Tudo chegou quente e rápido.

Por fim, os preços são justos. A porção de batata, com 380 gramas, custa R$ 18. A tilápia empanada é a opção individual mais cara, custando R$ 38. Ainda há um combinado de calabresa com batata, por R$ 40.

Clientela variada no bar chamou atenção

Logo ao chegar no local, as poucas mesas eram ocupadas por casais e famílias. Apesar da sertaneja de fundo e o jogo passando na TV, a clientela era mais velha.

Com o passar do tempo, pessoas mais jovens foram chegando, lotando mesas com amigos e casais. Em determinado momento a divisão era clara. De um lado famílias, do outro amigos e namorados.

Já na hora que o Cliente Oculto deixou o local, por volta das 21h, as famílias e casais de mais idade já tinham saído e todas as mesas já estavam cheias, com diversos grupos de jovens aproveitando o final de mais um sábado.

Entretanto, o ambiente não mudou, seguiu tranquilo e até mesmo familiar. Algumas rindo e cantando músicas do TikTok na mesa ao lado podem ter reforçado essa percepção.

Pontos positivos e negativos do local

Positivos

  • Boa localização (ao lado do parque Elias Gadia)
  • Atendimento rápido e atencioso
  • Preços baixos em comparação a bares do Centro
  • Cerveja gelada
  • Porção de peixe de qualidade

Negativos

  • Cardápio extremamente reduzido
  • Porção de batata com leve gosto de queimado (pedimos duas para tirar a prova)
  • O jogo perdeu espaço para a música
  • Banheiro um pouco sujo após ser usado várias vezes

Veja os locais onde o Cliente Oculto já passou:

Saiba Mais