Governo oferece R$ 1,1 milhão e condiciona segurar preço da passagem em Campo Grande

Nova proposta será apresentada pelo município ao Consórcio Guaicurus
| 28/06/2022
- 16:13
Governo oferece R$ 1,1 milhão e condiciona segurar preço da passagem em Campo Grande
Reunião entre o governador Reinaldo Azambuja e a prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes | Foto: Nathalia Alcântara / Midiamax

Em reunião na tarde desta terça-feira (28), ficou pactuado que o Governo do Estado repassará R$ 1,1 milhão para o Município, para subsidiar a gratuidade do passe do estudante dos alunos da rede estadual de Campo Grande. No entanto, a condição para o aporte é que o Consórcio Guaicurus congele o preço da passagem até o final do ano.

A Adriane Lopes (Patriota) se reuniu com o governador (PSDB). Ficou acordado que o Estado realizará o repasse de aproximadamente R$ 1.114.000,00 por mês, até dezembro, para custear o passe de cerca de 200 mil alunos estudando em escolas estaduais.

O Consórcio Guaicurus, que alega déficit de R$ 5 milhões, participará de nova reunião com a prefeita nesta quarta-feira (29). ”Estamos há mais de um mês buscando mecanismo para diminuir a crise no transporte público. Estamos saindo [da reunião] muito gratos, o governador tem se posicionado a favor da possibilidade desse aporte. É uma parceria, o Estado não está sendo obrigado”, disse Adriane.

O governador Reinaldo Azambuja, disse que o acordo é para buscar uma solução para o problema apresentado pela empresa detentora do transporte e que o repasse só será assinado se garantirem o mesmo preço da passagem até o final do ano.

“É possível? É. Mas preciso de garantia de que não vão aumentar a tarifa. [O repasse de R$ 1,1 milhão] não é uma obrigatoriedade, foi um pacto para buscar uma solução”, disse o governador. Caso o Consórcio concorde, o termo deve ser assinado até a quinta-feira (30).

Consórcio Guaicurus pede R$ 5 milhões por mês para manter preço da passagem a R$ 4,40

O Consórcio Guaicurus pede repasse mensal de R$ 5 milhões da Prefeitura de Campo Grande para descartar o aumento do passe de ônibus, hoje em R$ 4,40. A informação partiu do advogado do conglomerado, André Borges, que participaria de reunião, anteriormente marcada para às 14h desta segunda-feira (27), mas cancelada pelo Executivo municipal.

Vale ressaltar que o Consórcio Guaicurus foi beneficiado no início do ano com o 'perdão' de R$ 2,7 milhões referente ao ISS (Imposto Sobre Serviços) referente a todo o ano de 2021. Além disso, conseguiu a aprovação de aporte de R$ 12 milhões do município - referentes ao repasse mensal de R$ 1 milhão -, totalizando R$ 14,7 milhões para os cofres da empresa.

Assim, o Consórcio Guaicurus obtém por mês os R$ 1 milhão repassados pelo município, somado às passagens utilizadas pelos passageiros da Capital. O valor, segundo o município, representa a diferença que o município custeia para que a tarifa tenha o valor técnico de R$ 5,15. Além disso, o montante milionário também inclui o custeio total da gratuidade do transporte de alunos de escolas públicas e de idosos.

Vale lembrar que o contrato de concessão do transporte da Capital, firmado em 2012, estabeleceu a estimativa de R$ 3,4 bilhões de faturamento para as empresas que compõem o grupo durante os 20 anos de vigência do contrato.

A reunião, marcada para a tarde desta segunda-feira (27), seria para a prefeitura dar uma resposta ao pedido do Consórcio Guaicurus, que pleiteia o repasse de R$ 5 milhões ou reajuste do passe de ônibus para R$ 6,16 (na tarifa técnica). De acordo com Borges, o conglomerado busca ouvir soluções por parte da prefeitura para que o alegado problema financeiro da empresa seja resolvido.

Veja também

Candidatos ainda receberão certificado e auxílio alimentação e transporte de R$ 640

Últimas notícias