A semana política de Mato Grosso do Sul foi movimentada por anúncio de homenagem ao ex-presidente Michel Temer e os R$ 44,7 bilhões de investimentos do PAC (Programa de Aceleramento de Crescimento) para o Estado. Além disso, repasses de time movimentaram o cenário do interior.

Nesta sexta-feira (11), o Governo Federal anunciou R$ 44,7 bilhões de investimentos em MS. O Jornal Midiamax listou as 255 obras e concessões previstas para o Estado no PAC.

Para a superintendente da Sudeco (Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste), Rose Modesto, o programa “reconhece a importância do Mato Grosso do Sul para o desenvolvimento do Brasil”. O coordenador da bancada de MS, deputado federal Vander Loubet (PT), disse que o momento é ‘histórico'.

Homenagem em MS

Em 21 de setembro, o ex-presidente da República, Michel Temer (MDB), virá a Mato Grosso do Sul para visitar a da Rota Bioceânica. Ele deve ir até a construção da ponte entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta, no Paraguai.

Com isso, o deputado estadual anunciou que deseja homenagear o ex-presidente. Contudo, Temer é apontado como ‘golpista' pelos petistas, devido ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Então, na quinta-feira (10), o colega de bancada Pedro Kemp (PT), considerou o desejo de homenagem como ‘infeliz'. Enquanto o presidente estadual do PT em Mato Grosso do Sul, Vladmir Ferreira, emitiu nota sobre o assunto.

O líder do diretório estadual do PT em MS afirmou que “homenagear o Golpista, é homenagear o golpe”. No mesmo dia, Zeca retirou a pré-candidatura pelo PT a Prefeitura de Campo Grande para as Eleições de 2024. Ele disse que a decisão foi tomada por ‘incômodo interno'.

“Não vou sair do PT e também não sei que encaminhamento do PT vai ter nesta questão. Tem que ver com o presidente”, opinou. Por fim, nesta sexta-feira (11), Zeca disse que a homenagem se tratava da participação de Temer no projeto da Bioceânica. “Estão confundindo alho com bugalho”, afirmou.

Pantanal e repasses

Ainda nesta semana, o governador Eduardo Riedel anunciou a suspensão de licenças ambientais que liberaram o desmatamento no Pantanal. Após série de denúncias publicadas pelo Jornal Midiamax e recomendações de conselhos nacionais, o gestor do Estado se reuniu com representantes do Ministério do Meio Ambiente.

Assim, na quinta-feira (10) marcou encontro na Governadoria para anunciar as medidas para os deputados federais de MS. Além da da licença, Riedel disse que enviará à Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) um projeto para a 1ª Lei do Pantanal.

Por fim, a semana política do Estado teve o registro de boletim de ocorrência citando o vereador Carlos Henrique (MDB). Na segunda-feira (7), a mãe do secretário municipal de Desenvolvimento Sustentável de Coxim, Sergio Alexandre, registrou ocorrência por ameaça.

Ela alegou que foi ameaçada pelo parlamentar após suspeita de desvio de verba em repasses da Prefeitura. A repercussão da denúncia de vereadores de Coxim, por suposto desvio de verba dos repasses feitos ao CAC (Coxim Atlético Clube), o prefeito Edilson Magro (DEM) disse que irá apurar as possíveis irregularidades.