Investigações no interior marcaram a semana política de Mato Grosso do Sul. Além disso, a votação do arcabouço fiscal e troca de cadeiras agitaram o cenário político estadual.

O projeto de lei complementar nº 93/23, que trata do novo regime fiscal brasileiro, foi votado na Câmara dos Deputados. Dos oito deputados federais de MS, cinco foram favoráveis ao texto do projeto.

Além disso, os deputados votaram destaques do texto substitutivo proposto pelo relator da matéria, deputado Claudio Cajado (PP-BA). Foram quatro destaques votados na quarta-feira (24).

Troca de cadeiras

A troca de secretariado da Prefeitura de gerou troca de cadeiras na Câmara Municipal e no primeiro escalão da Prefeitura de . Isso porque o então secretário Municipal de Governo e Relações Institucionais, Mario Cesar Oliveira da Fonseca, foi exonerado em 19 de maio.

Assim, afirmou que deixaria o cargo de vereador na Câmara para assumir a pasta. Para ele, a mudança se trata de ‘construção política'.

A cadeira de Rocha foi ocupada por Claudinho Serra (PSDB), ex-secretário de Sidrolândia. “Vou chegar com gás novo”, disse o novo vereador durante a posse em Campo Grande, na terça-feira (23).

No entanto, o presidente da Casa de Leis, Augusto Carlos Borges (PSB), afirmou que a mudança de vereador não será drástica. A nomeação de Rocha consta em edição extra do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) de 24 de maio.

Investigações no interior de MS

Investigações e processos do interior de Mato Grosso do Sul vão desde suspeita de propina até pedido de aumento de salário. Na próxima sessão, a Câmara de Bela Vista decidirá sobre abertura de comissão de investigação contra o prefeito Reinaldo Miranda Benites, o Piti (PSDB).

A denúncia de eleitor surgiu após o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) denunciar o prefeito por envolvimento em suposto esquema de pagamento de propinas.

Na terça-feira (23), a Câmara de Selvíria entrou com agravo para reverter a decisão da Vara de Fazenda Pública e Registros Públicos de Três Lagoas, que suspendeu o aumento de 12% para prefeito, José Fernando Barbosa dos Santos (PSDB); do vice-prefeito Jaime Soares (PSD) e dos secretários municipais.

Então, nesta quinta-feira (25), o desembargador João Maria Lós, do (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), decidiu pela manutenção do aumento. Ou seja, deferiu o agravo para manter o reajuste de 12% sobre o salário do prefeito de Selvíria.

Já em Rio Brilhante, um servidor público foi alvo de sindicância após suspeita de desvio de valores e pagamentos indevidos para a própria esposa. Por fim, investigação do MPMS apontou que o esquema de corrupção sobre licitações da Prefeitura de Sidrolândia envolve empresários da cidade.

Eles fraudavam documentos das empresas concorrentes, para garantir as contratações. Então, o TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul) aprovou o pedido de averiguação prévia em Sidrolândia.

Movimentações partidárias

A prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes (Patriota), se filia ao PP em 1º de junho. A senadora Tereza Cristina, presidente estadual do partido, anunciou a filiação.

Então, o deputado estadual Lídio Lopes, atual presidente estadual do Patriota, confirmou a filiação no Progressistas. Ele deve seguir a esposa, Adriane Lopes.

O MDB promove as eleições do diretório municipal de Campo Grande, em 2 de junho. A votação acontece das 8h às 12h na sede do partido.

No mesmo dia, o presidente nacional do Republicanos, deputado federal Marcos Pereira, vem a Campo Grande para confirmar o deputado estadual como presidente estadual e o vereador Betinho como o municipal da sigla.