Candidato de Reinaldo em Sidrolândia gastou R$ 243,5 mil em campanha

Enelvo Felini foi derrotado por Vanda Camilo na semana passada
| 21/06/2021
- 17:26
Candidato de Reinaldo em Sidrolândia gastou R$ 243,5 mil em campanha
Foto: Reprodução/Facebook

A campanha do ex-prefeito e ex-deputado estadual Enelvo Felini () à prefeitura de Sidrolândia custou R$ 243,5 mil. É o que mostra a prestação de contas disponível no portal DivulgaCand Contas (Divulgação de Candidaturas e Contas), do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Apoiado pelo governador de Mato Grosso do Sul, (PSDB), Enelvo foi derrotado pela atual prefeita em exercício, Vanda Camilo (PP), que conquistou 52,4% dos votos válidos. O tucano também perdeu o pleito de 2020 para Daltro Fiúza (MDB), que teve a candidatura barrada pelo TSE e não pode assumir o cargo.

A campanha da eleição suplementar de Enelvo teve redução de 34,24% em gastos se comparado ao período eleitoral do ano passado. Naquela eleição, o tucano despendeu R$ 326,9 mil.

Nos últimos meses, a coligação tucana arrecadou R$ 243,5 mil. O Diretório Estadual do PSDB repassou R$ 150 mil. Houve ainda duas vultosas doações de empresários. Rafael Fernandes Breure doou R$ 50 mil e Moacir Hernandes Nonato ofereceu R$ 43,5 mil.

Quanto às despesas, o maior gasto foi com publicidade por materiais impressos, que custou R$ 85,8 mil. Despesas com pessoal consumiram R$ 67,6 mil; cessão e locação de veículos corresponderam a R$ 30 mil; gastos com combustíveis e lubrificantes foram de R$ 17,8 mil e produção de jingles, vinhetas e slogans despenderam R$ 11 mil.

A prestação completa pode ser consultada no site do TSE (clique aqui para conferir).

A campanha da prefeita eleita Vanda Camilo custou R$ 67 mil. A pepista também angariou R$ 67 mil em recursos. Quanto aos gastos, grande parte foi para material impresso, ao custo de R$ 36,1 mil. 

Eleição suplementar

Vanda foi eleita em 13 de junho com 52,4% dos votos válidos, o que representa 10.768 votos. Enelvo conquistou 47,6% do eleitorado, tendo 9.782 votos. Votos em branco foram 1,58% e nulos chegaram a 1,88%. A abstenção atingiu os 31,29%.

Atual prefeita interina, a pepista estava no cargo desde janeiro. Na condição de presidente da Câmara Municipal, ela assumiu a chefia do Poder Executivo devido à impossibilidade de Daltro Fiúza (MDB), que teve a candidatura barrada pela Justiça Eleitoral.

A campanha teve duas reviravoltas devido à pandemia de Covid-19. O TRE paralisou a corrida eleitoral em março por causa da alta de casos, e só autorizou a retomada no mês passado. Na semana passada, o candidato a vice de Enelvo, Moacyr do Vacaria, morreu por complicações da doença. Ele foi substituído por Sérgio Ocampos, também do Patriota.

O novo pleito foi convocado pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) após o TSE decidir manter a impugnação do registro de candidatura de Daltro Fiúza (MDB), eleito em novembro.

Veja também

Procuradoria-Geral de Maracaju afirma que aguardam notificação judicial sobre a condenação de Rogério Bezerra, preso por homicídio

Últimas notícias