O deputado estadual (Podemos) apresentou projeto de lei que estabelece normas para a acomodação reservada em hospitais de a mulheres que tenham sofrido a perda do bebê. A proposta ainda será avaliada pela CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) da Legislativa.

Conforme o projeto do parlamentar, a proposta visa dar alojamento diferenciado daquelas que estão com seus recém-nascidos no colo, reconhecimento que a mulher que sofreu a perda do filho tenha o seu luto acolhido.

“Nesse momento, a mulher precisa de todo o apoio para lidar com o luto que enfrenta. É preciso reconhecer e acolher a dor que ela enfrenta e dar-lhe a oportunidade de chorar e superar as dificuldades vultosas do momento, a doer na alma e no próprio corpo”, pontua trecho.

O deputado destaca em sua justificativa que é preciso estabelecer protocolos de acolhimento a partir da própria maternidade, começando pela acomodação dessa mulher em lugar adequado e próprio ao seu restabelecimento psicológico, emocional e físico, diferenciado daqueles em que estarão as mulheres mães em companhia dos seus nascituros e cercadas de plena alegria, e também, incluir a comunicação sensível da perda, a oferta de atendimento psicológico e terapêutico, voltados ao trabalho do luto.

“Proponho, ainda, que sejam desenvolvidos protocolos de apoio, incluindo, além da acomodação especial, também a comunicação sensível e o cuidado psicológico e terapêutico”, pontua projeto.