O Governador de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel (PSDB), continua cumprindo agenda no Chile, nesta quinta-feira (27). O tucano está no país desde ontem (26), quando participou de um encontro para discutir sobre a nova Fábrica de Celulose que será instalada no Estado.

Ontem, Riedel visitou as instalações da Arauco para negociar as contrapartidas que serão investidas em Mato Grosso do Sul na instalação da fábrica florestal. A empresa deve injetar US$ 3 bilhões em recursos, o equivalente a R$ 14 bilhões para ativar a planta.

O polo será implantado no ‘Vale da Celulose’ a partir de 2025 com a geração de 12 mil empregos durante as obras. A previsão para o início das operações é para 2028. Essa é a primeira planta de celulose da empresa no Brasil, já havendo cinco delas no Chile.

O empreendimento tem capacidade de produção anual de 2,5 milhões de toneladas de celulose branqueada. O projeto prevê baixo consumo de água, baixas emissões, baixo ruído e mínima geração de resíduos.

Em Mato Grosso do Sul, a Arauco já possui a Mahal, empresa florestal que tem mais de 60 mil hectares de florestas cultivadas em seis cidades na costa leste sul-mato-grossense: Inocência, Água Clara, Três Lagoas, Aparecida do Taboado, Selvíria e Chapadão do Sul.

A nova fábrica de celulose terá proposta de alta eficiência energética, criando um excedente de energia elétrica de 200 mW oriundo de biocombustível em forno de cal, a biomassa gaseificada. Além disso, o local de sua instalação é estratégico: a 50 km da área urbana de Inocência, na margem esquerda do rio Sucuriú e a 100 km do rio Paraná, tudo isso a 4 km da MS-377 e a 47 km da ferrovia de bitola larga.