Candidata por à presidência da República assim como a senadora (MDB), Soraya Thronicke (União Brasil) também votou em na manhã deste domingo (2) e declarou que o presidente (PL) traiu o candidato ao governo estadual Eduardo Riedel (PSDB) ao declarar apoio ao Capitão Contar (PRTB) durante debate nacional.

Soraya votou na Escola Municipal Professor Arassuay Gomes de Castro, na Vila Manoel da Costa Lima, e contestou que tivesse ajudado o candidato do PRTB em Mato Grosso do Sul ‘provocando' o presidente, que é candidato à reeleição. “De forma alguma [ajudei]. Quem rompeu, distratou e traiu foi ele [Bolsonaro] e quem tem que responder por isso é ele e não eu. E o resultado disso está nas mãos de Deus”, sentenciou.

Logo após a declaração, a candidata foi vaiada por apoiadores do presidente que estavam na fila de votação. Uma delas a chamou de ‘traidora de Bolsonaro', aos gritos. Soraya se afastou e continuou a entrevista já perto do portão de saída da escola.

“Quem tem razão não precisa gritar e Graças a Deus a gente não precisa”, disse Soraya ao pedir ‘respeito para o Brasil caminhar'. “Aguardo com muita tranquilidade o resultado e que o povo brasileiro tome a decisão correta contra a corrupção, para a implantação de um mercado liberal no nosso país. Aguardamos acima de tudo que quem vai governar esse país respeite a democracia e a liberdade de expressão”, disse.

A candidata recebeu abraço e apoio dos assessores ao deixar a escola e foi escoltada pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), em veículo à paisana.