Após a confirmação da morte da Rainha Elizabeth II nesta quinta-feira (8), o presidente e candidato a reeleição Jair Bolsonaro (PL) e os presidenciáveis comentaram o falecimento da matriarca britânica. Para o presidente Bolsonaro, Elizabeth não foi apenas uma rainha para os britânicos, mas para “todos nós”. As candidatadas à presidência Simone Tebet (MDB) e (União Brasil) lembraram da rainha como uma forte figura feminina no cenário mundial.

A Rainha Elizabeth II faleceu aos 96 anos e o anúncio da morte foi feito nas redes sociais da família real britânica. “A rainha morreu pacificamente em Balmoral esta tarde. O rei e a rainha consorte permanecerão em Balmoral esta noite e retornarão a Londres amanhã”, informou a Casa Real britânica.

Saúde delicada

Mais cedo, a piora no estado de saúde da monarca motivou o anúncio da Casa Real e a convocação de todos os parentes para comparecer ao Castelo de Balmoral, na Escócia, onde estava Elizabeth.

A rainha Elizabeth II havia sido colocada sob cuidados , após seus médicos particulares expressarem preocupações com a saúde da monarca. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (8) pela própria Casa Real britânica, que informou ainda que Elizabeth estava sendo acompanhada pelos médicos e estava “confortável” no Palácio de Balmoral, na Escócia.

Confira as manifestações dos candidatos à Presidência da República sobre a morte da rainha:

Jair Bolsonaro (PL)

“Quando a vida parece difícil, os corajosos não se deitam e aceitam a derrota; em vez disso, estão ainda mais determinados a lutar por um futuro melhor”. – Com tais palavras, Rainha Elizabeth II mostra porque não foi apenas a Rainha dos britânicos, mas uma rainha para todos nós.

Soraya Thronicke (União Brasil)

Coragem e determinação. O mundo perde uma grande mulher, que soube conduzir com equilíbrio e bom senso as decisões da realeza britânica, respeitando os valores humanos e institucionais. Elizabeth II foi uma mulher à frente do seu tempo – real defensora da família, do Estado e de seu povo. “Enfrente ou em frente”, seu maior ensinamento. O Brasil precisa mirar no exemplo dos ingleses que valorizaram a figura feminina da Rainha Elizabeth II, respeitando também a força das nossas mulheres e garantindo a elas cada vez mais protagonismo.

Simone Tebet (MDB)

A rainha Elizabeth II é exemplo de liderança feminina que, ao longo de décadas, serviu como ponto de equilíbrio de uma nação poderosa como o . Modelo de estabilidade, de convivência respeitosa entre instituições de Estado. Sua vida, seus atos, sua trajetória servem como modelo num mundo em que valores como estes têm sido cada vez mais aviltados, como vem acontecendo, infelizmente, em nosso país. Em suas próprias palavras: “Foram as mulheres que inspiraram gentileza e cuidado no duro progresso da humanidade.” Descanse em paz.

Lula (PT)

A Rainha Elizabeth II testemunhou e participou dos grandes eventos e processos históricos dos últimos 80 anos. Marcou era como Chefe de Estado, reinando em convivência com primeiros-ministros de diferentes linhas ideológicas. Em nosso governo, o Reino Unido e o Brasil tiveram excelentes relações diplomáticas, políticas e comerciais, marcadas pela visita de Estado em que ela nos recebeu, em 2006. Gravo na memória nosso encontro na reunião do G-20 em Londres, em 2009. Minhas condolências à família e a todos que admiravam a Rainha Elizabeth II no Reino Unido e ao redor do mundo.

Ciro Gomes (PDT)

Com a morte da Rainha Elizabeth II se fecha um ciclo da monarquia britânica e se abrem as portas da história para uma mulher que foi um símbolo de superação, sacrifício pessoal e devotamento à causa de uma nação. Que ela descanse, merecidamente, em paz.

Felipe D'Ávila (Novo)

Quando me perguntam quem é a figura da atualidade que mais gostaria de conhecer, eu sempre respondia “a rainha Elizabeth II”. Primeiro, minha admiração pelo seu senso de dever público. Não será fácil substituir uma rainha adorada por seu povo, admirada por estadistas do mundo e querida por todos que a consideravam um símbolo de alguém que sempre soube personificar os valores e tradições do seu país e a defesa implacável da coroa, da democracia e da civilidade. Com a sua morte, encerra-se um capítulo na história do Reino Unido e se esvai o último sopro de dignidade e de civilidade que ainda restava na política.

Sofia Manzano (PCB)

Não vou comentar a morte da rainha Elizabeth II porque estou empenhada na solidariedade ao @galodeluta que está, neste momento, enfrentando um julgamento que demonstra a seletividade da justiça na criminalização daqueles que lutam. Os ícones da classe dominante devem desaparecer.

Vera (PSTU)

Morreu a rainha de uma monarquia capitalista responsável por genocídios, massacres e pilhagens de muitos povos em todo mundo. Que sua morte dê força para que os povos e os trabalhadores acabem com a monarquia, o imperialismo e esta exploração e opressão capitalista! Minha solidariedade é com os trabalhadores ingleses que estão fazendo uma onda histórica de greves por aumento salários!

(Alterada para acréscimo de informações)