Novo pedido de cassação é aberto contra vereador de Dourados acusado de agredir ex-esposa

Este é o segundo pedido aberto contra Diogo Castilho, acusado de violência doméstica
| 28/01/2022
- 21:24
Vereador voltou ao mandato após 60 dias afastado devido às denúncias de violência doméstica.
Vereador voltou ao mandato após 60 dias afastado devido às denúncias de violência doméstica. - Foto: Reprodução.

Um novo pedido de cassação de mandato do vereador Diogo Castilho (DEM) — acusado de violência doméstica contra a ex-esposa — foi protocolado na Câmara de Dourados nesta sexta-feira (28). O requerimento foi assinado pelos advogados Alberi Rafael Dehn Ramos e Felipe Cazuo Azuma, que representam a ex-companheira do político.

O vereador já teve pedido de cassação após denúncia sobre violência doméstica contra a ex-esposa. Ele ficou afastado do cargo desde o dia 13 de setembro de 2021, mas retomou o mandato em 2 de dezembro daquele ano.

Ao Jornal Midiamax, Alberi explicou que a mulher agredida é eleitora de Douradina e por isso não conseguiu entrar com pedido de cassação. Assim, os advogados que votam na cidade onde o vereador exerce mandato entraram com o requerimento.

“Demos ciência a presidente da câmara, eles não estavam esperando”, lembrou Alberi sobre a entrega do pedido nesta sexta-feira (28). Os advogados pediram autorização da vítima para compartilhamento das provas, já que o era sigiloso para proteção da vítima.

Entenda o caso

Conforme a Polícia Militar, o casal teve uma discussão, quando Diogo segurou a mulher pelos braços e a jogou na cama, a xingando. Ele começou a chacoalhar a vítima e ainda tentou esganar a mulher com as mãos e também asfixiar com um travesseiro. A noiva, então, teria dito que denunciaria o suspeito.

Em 4 de setembro, o vereador chegou a ser preso em Dourados, após denúncia de violência doméstica. Após 60 dias afastado do cargo de vereador, o médico e vereador voltou a participar das ações da Câmara de Dourados.

Castilho foi beneficiado por uma decisão monocrática do desembargador João Maria Lós, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, que manteve a suspensão do processo por quebra de decoro parlamentar. O desembargador acatou pedido feito pela defesa do vereador Diogo Castilho que é acusado de violência doméstica contra a ex-noiva.

Ele chegou a cumprir pena na PED (Penitenciária Estadual de Dourados) e já havia conseguido uma anteriormente, mas que tinha sido cassada pelo José Domingues Filho, titular da 6ª Vara Cível de Dourados.

Veja também

Alteração foi no decreto que determina as categorias comum e luxo, de produtos adquiridos pelo governo estadual

Últimas notícias