Ex-vereadores de Campo Grande não reeleitos pleiteiam vagas nas eleições de 2022

Maioria dos ex-vereadores vão tentar uma vaga na Câmara Federal
| 18/06/2022
- 13:00
Câmara Municipal de Campo Grande
Vereadores na sessão da Câmara Municipal de Campo Grande - Izaias Medeiros, CMCG, Arquivo

Ex-vereadores de Campo Grande, que não tiveram êxito nas eleições municipais em 2020, tentam uma vaga seja na Câmara Federal ou Assembleia Legislativa, no pleito em outubro deste ano.

Há dois anos, 15 vereadores não obtiveram votos necessários para voltarem à cadeira na . Dois ex-vereadores não disputaram a reeleição, sendo Vinicius Siqueira e o campeão de votos em 2016, André Salineiro, ambos agora filiados ao Podemos.

Salineiro foi candidato a vice-prefeito de Sérgio Harfouche e Siqueira foi candidato a prefeito. Como não foram eleitos, não ocuparam cargos públicos.

Nas eleições deste ano, os dois são pré-candidatos a deputado federal. Além deles, a Enfermeira Cida Amaral, agora filiada ao Republicanos, também vai tentar uma vaga na Câmara dos Deputados.

Junior Longo (PSDB) conquistou 2.579 votos em 2020, mas não foi o suficiente para a reeleição. Neste ano, ele é pré-candidato a deputado estadual, assim como Francisco Gonçalves (Podemos). Conhecido como Veterinário Francisco, ele fez 4.223, mas devido à coligação, não foi eleito.

Delegado Wellington deixou o PSDB e se filiou ao PL. Até o momento, conforme informou à reportagem, tem mantido conversas no partido para sair candidato a deputado federal.

Pelo PP, o ex-vereador afirmou ser pré-candidato a deputado federal. Em 2020, ele fez 1.278 votos, mas não foi reeleito.

Sem candidatura

Chiquinho Telles (PSD) confirmou ao Jornal Midiamax não ser candidato este ano. Ele é suplente na Câmara Municipal e caso um dos colegas do partido seja eleito, pode assumir a vaga no próximo ano. “Estamos cuidando da chapa majoritária e o objetivo é eleger Marquinhos Trad ao governo”, justificou ao dizer o motivo de não ser candidato.

Eduardo Romero (Rede Sustentabilidade) também não deve disputar as eleições de 2022. Candidato à reeleição há dois anos, ele obteve 1.851 votos, mas não foram suficientes para retornar à vaga.

Porém, foi nomeado secretário-adjunto na Secretaria de Estado de Cidadania e Cultura e com a saída do vereador João César Mattogrosso da pasta, foi efetivado como secretário.

Odilon de Oliveira Júnior (PSD) também não foi reeleito em 2020, mas assumiu como diretor-presidente da Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos). Ele afirmou não ser candidato nas eleições de 2022 para se dedicar à campanha do pai, Juiz Odilon, ao Senado Federal.

Lívio Leite (PSDB) também não conquistou votos necessários para ser reeleito. Ele assumiu como diretor-presidente do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) e afirmou não ter pretensão de disputar as eleições deste ano.

Sem contato

A reportagem do Jornal Midiamax tentou contato com os ex-vereadores Eduardo Cury, Wilson Sami, Enfermeiro Fritz, Antônio Cruz e Jeremias Flores, mas não obteve retorno até o fechamento deste texto.

Veja também

Seis pessoas ligadas às empresas também foram condenadas a pagar multa

Últimas notícias