O presidente da Câmara Municipal de , Carlos Augusto Borges (PSB), o Carlão, disse que a Casa de Leis não está pressionando a Prefeita da Capital, Adriane Lopes do Patriota, a mudar o secretariado, mas ressalta que a chefe do executivo precisa colocar pessoas com ‘competência e não apenas amigos'.

“A não está pressionando, ela está mexendo, mudou a presidência da Funsat [Fundação Social do Trabalho] e não falou com ninguém. Eu não tenho a intenção de indicar uma pessoa para ser secretário, mas quero que ela tenha uma boa equipe e não só amigos. A prefeita precisa colocar pessoas com competência e fazer parcerias na questão de base e governabilidade”, explicou Carlão.

Adriane já teria anunciado aos seus correligionários que trocará quase todo o secretariado da Prefeitura. A princípio, aliados da prefeita revelaram que a mudança aconteceria ainda em outubro, mas nesta semana mudaram discurso alegando que a chefe do executivo esperaria o das eleições para fazer possíveis trocas.

Pedido para troca de secretário reuniu assinaturas

Desde o início deste mês, é ventilado o pedido de troca do secretário de Saúde José Mauro. Com isso, o vereador Victor Rocha (PP) pode ser o novo secretário municipal de Saúde de Campo Grande, mas ainda nada está decidido.

Os parlamentares chegaram a assinar um documento pedindo a mudança do chefe da pasta, mas em conversa com o Midiamax a prefeita disse que nada está definido e que ela segue ‘analisando'.

Até o momento, cinco foram exonerados: o secretário de Governo, Antônio Lacerda, o adjunto, Robson Gatti, e o de Gestão, Agenor Mattiello, que foi substituído pela servidora de carreira Maria das Graças de Macedo. No último dia 20 de outubro, foram exonerados Luciano Silva Martins e o adjunto, João Marcelo Pereira, da .

Projeto para aumento de salário

Sobre o projeto que deve ser analisado ainda neste ano na Câmara de Campo Grande, o qual pede aumento do subsídio da prefeita para R$ 35.462,22, Adriane afirmou que ainda não viu o projeto. “Vou marcar uma reunião com os vereadores para discutir essa e outras questões. Mas ainda não fui acionada por eles para discutir este projeto”, disse.

Presidente da Câmara explicou que a mudança é necessária para que mais de 500 servidores tenham os salários reajustados.

O projeto define R$ 31.915,80 de subsídio para o vice-prefeito de Campo Grande. Já os secretários municipais ficam com R$ 30.142,70 fixados ao mês. Atualmente, o salário da prefeita é de R$ 21.263,62. Logo, serão cerca de R$ 14 mil a mais por mês a partir do próximo ano.