Em depoimento, idoso de 65 anos, que matou empresário Thiago Santos Freitas, 33 anos, disse na delegacia em depoimento nesta segunda-feira (02) que agiu em legítima defesa para proteger sua família. O crime aconteceu na Rua 24 de Fevereiro, madrugada do último domingo (01) em Bonito, cidade a 297 quilômetros de Campo Grande.

Advogadas de defesa do idoso, Thaisa Noronha e Rafaela Valente Sott, comentam que a família do idoso vem sofrendo ameaças pela internet. Não foi informado pela defesa a profissão dele e nem se ele possui porte de arma. Nesta segunda, o autor entregou a arma ao delegado responsável pelo caso, Daniel Pirró e responde em liberdade.

“Eles estão com bastante medo, foi uma fatalidade, são pessoas de bem, ele nunca se envolveu em nada de errado”, disse a advogada Thaisa Noronha.

Em oitiva, o idoso contou que ele, seu genro e neto de cinco anos quase foram atropelados por Thiago, que aparentemente embriagado dirigia uma caminhonete. Houve discussão com Thiago e o idoso foi quem tirou o genro da discussão.

Posteriormente, metros depois, Thiago então teria feito outra manobra perigosa, com intenção de acuá-los. Ainda de acordo com o homem de 65 anos, neste momento, Thiago fez menção de pegar algo no porta-luvas e, ao abrir a porta, foi atingido duas vezes na cabeça, pelos tiros dados pelo idoso. O caso segue em investigação.

Em contato com a reportagem, família de Thiago informou que irá realizar manifestação no próximo sábado (07), pelo fato do autor não ter sido preso. A manifestação acontece às 18 horas, em frente ao Santuário Estadual Nossa Senhora Perpétuo Socorro, na Avenida Afonso Pena, após a missa de sétimo dia.

“Quero justiça pelo meu esposo, pai e filho que ele era! Foi uma covardia sem tamanho, dois tiros na cabeça sem poder se defender. Esse mostro tem que pagar por destruir nossa família nossos sonhos. Foi muita injustiça ele sair pela porta da frente assim”, desabafou Rosenilda Padilha, esposa de Thiago.