O subcomandante da guarda municipal denunciado no final de outubro deste ano por assédio sexual contra alunas durante o curso de formação dos agentes, em , foi afastado de suas funções e teve a arma recolhida com a instauração de um PAD (Procedimento Administrativo Disciplinar). 

Publicado no Diário do Município desta segunda-feira (28), o afastamento foi assinado pelo secretário da Sesdes (Secretaria Especial de Segurança e Defesa Social), Valério Azambuja. O subcomandante da guarda municipal, coordenador de operações, estava ministrando aulas no curso de formação quando foi acusado de assédio.

Já sobre os outros dois agentes denunciados também foi apurado pela reportagem que a investigação ainda está em curso.

A denúncia

Segundo a denúncia, os instrutores davam carona para as vítimas. O caso foi relatado por um vereador na tribuna da Municipal. O parlamentar Marcos Tabosa afirmou que as alunas tinham de ‘ficar' com os instrutores em troca de notas.

Na época da denúncia, a informou que um procedimento já havia sido instaurado para investigar a conduta dos agentes. Durante o procedimento, a Corregedoria concluiu que houve conduta inapropriada dos guardas. 

A nota ainda trazia que a secretaria “não coaduna com condutas de assédio morais ou sexuais de seu servidores, em especial daqueles designados para curso de formação”.