Mais de 12 horas após troca de tiros e morte de assaltante, polícia segue em buscas por 5 comparsas

Dois suspeitos já foram identificados e acumulam passagens em MS
| 12/07/2022
- 18:29
Mais de 12 horas após troca de tiros e morte de assaltante, polícia segue em buscas por 5 comparsas
Carro usado pelos criminosos foi furtado de casal - Foto: Henrique Arakaki/Midiamax

Ainda no início da noite desta terça-feira (12) continuam as buscas pelos 5 comparsas de Diego dos Santos Leite, de 30 anos, morto em confronto com policiais militares nesta madrugada, por volta das 2 horas. A troca de tiros aconteceu em um posto de combustível na BR-163, região de Jaraguari, a 47 quilômetros de Campo Grande.

Conforme relatado pelo delegado Jarley Inácio, titular da Delegacia de Jaraguari, dois comparsas de Diego já foram identificados e será feito pedido de prisão. Equipes da Polícia Militar com Batalhão de Choque seguem em diligências e buscam os outros envolvidos, que conseguiram fugir após a morte de Diego.

Diego cometeu uma série de crimes desde a noite de segunda-feira (11) até a madrugada, quando chegou a dirigir uma viatura da Polícia Militar e foi atingido pelos disparos. O primeiro fato teria ocorrido no Monte Castelo, quando o acusado invadiu o apartamento de um idoso de 69 anos.

A vítima dava abrigo a Diego, que morou nos fundos de sua por aproximadamente três anos. O idoso foi agredido e teve a motocicleta roubada por Diego, que depois furtou o Cruze de um casal, para quem prestava serviços de jardinagem há pelo menos 10 anos, segundo relatado pela vítima.

O furto do carro aconteceu no São Francisco, também em Campo Grande. Já na madrugada, Diego chegou ao posto de combustível com os comparsas, empurrando o carro que estaria sem combustível. O frentista desconfiou e não quis atender os suspeitos, se escondendo no escritório.

Depredaram posto e trocaram tiros com a PM

Posto de gasolina onde aconteceu troca de tiros com a PM - Foto: Henrique Arakaki/Midiamax
Posto de gasolina onde aconteceu troca de tiros com a PM - Foto: Henrique Arakaki/Midiamax

Após o funcionário se esconder, a quadrilha passou a depredar as bombas de combustível e invadiu o estabelecimento, de onde foram furtados celulares e R$ 22, do caixa. Um cliente que estava no posto também teve o celular roubado pelos homens, que estavam armados.

Um dos criminosos ainda quebrou o vidro de uma Saveiro e chegou a entrar no veículo ao perceber a chegada da Polícia Militar. Foi dada ordem de parada ao suspeito, que saiu da picape e foi em direção a um dos policiais militares, que ainda foi derrubado no chão e agredido.

O homem, que depois foi identificado como sendo Diego, teria entrado na viatura policial e tentou fugir. Foi dada ordem de parada e ele então fez disparos com a arma de fogo, que foram revidados. O acusado tentou atropelar o policial, atravessou o canteiro com a viatura e só parou ao bater no portão de uma fábrica de fertilizantes.

Diego foi atingido pelos disparos e não resistiu aos ferimentos. Segundo a polícia, ele tinha passagens por roubo, furtos, desacato, porte de drogas, e resistência.

Jardineiro furtou carro dos patrões

De acordo com a polícia, após furtar o Cruze dos patrões, Diego acabou se envolvendo em um acidente de trânsito batendo em um Sandero vermelho, fugindo em seguida. Os policiais conseguiram encontrar os donos do veículo que estavam dormindo e não sabiam do furto.

Os militares ainda avisaram que o motorista do carro seria Diego, quando a mulher contou que ele era jardineiro da família há 10 anos e que deveria ter pulado o muro da casa, conseguindo pegar a bolsa da vítima e furtando o carro. 

Após o acidente provocado pelo bandido, ele ainda foi até a casa da avó. Diego estava descontrolado e passou a agredir os irmãos e o avô, quando fugiu novamente com o carro roubado.

Veja também

Últimas notícias