Autoridades do Quênia confirmaram novas 12 mortes causadas por fome no caso envolvendo pessoas que realizam jejum em uma seita para “conhecer Jesus”. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (17).

Até o momento, já foram confirmadas 403 mortes em consequência das práticas de uma seita religiosa que estimula seus seguidores a passar fome.

As autoridades esperam um aumento no número de mortes. A história ficou conhecida como o “massacre de Shakahola”, nome da floresta do Quênia onde os corpos foram encontrados.

Há alguns meses, quando a história ganhou notoriedade, a organização Haki Africa, que denunciou o caso, solicitou o envio de tropas ao governo federal do Quênia para que promova buscas no interior da mata a fim de evitar mais mortes.

O líder da seita está detido e, segundo a imprensa internacional, estaria “orando e jejuando” na cela.

*Com informações da Revista Exame.