O pastor Márcio Valadão detalhou os últimos momentos de Guilherme de Pádua antes de sua morte neste domingo (6) e falou sobre como o ex-ator e assassino confesso de Daniella Perez teria morrido, em Belo Horizonte.

Em live, já retirada do ar, o líder da Igreja Batista da Lagoinha, da qual Guilherme era pastor, narrou os últimos passos de Pádua em vida.

“Um pouquinho antes das 22h, poucos minutinhos, recebi o telefonema de uma irmã contando que um dos nossos pastores que acabou de falecer. Pra mim, foi um impacto muito grande porque hoje às 10 horas da manhã eu estava dirigindo o culto e ele estava ali no primeiro banco, ele e a esposa. Os dois ali ao lado, tão bonito e servindo ao senhor”, iniciou Márcio Valadão.

Na sequência, o pastor destacou um abraço. “Durante o louvor, cantando. A minha filha Ana Paula participou do culto, cantou, ministrou. Ela mesma foi lá e deu um abraço nele também”, disse.

“É um moço que a sociedade não compreende porque ele praticou aquele crime tão terrível da Daniella Perez. Foi preso, cumpriu a pena, mas se converteu. Era uma lagarta que virou borboleta”, comentou a respeito da morte da filha da autora de novelas Glória Perez, assassinada por Guilherme e sua então esposa Paula Thomaz, em 1992.

Na sequência, pastor Márcio Valadão detalhou a morte. “Aí chegou a notícia. Ele dentro de casa, agora, caiu e morreu. Morreu agora, agorinha, agorinha. Ele acabou de morrer”, contou, com um sorriso no rosto que virou meme.

Horas depois, a live foi apagada, mas pode ser conferida na íntegra no vídeo abaixo:

‘Caiu e morreu’: Guilherme de Pádua teve infarto, diz Igreja

A Igreja Batista da Lagoinha de Belo Horizonte publicou uma nota de pesar oficial a respeito da morte de Guilherme de Pádua. Segundo a Igreja, o assassino confesso de Daniella Perez morreu de infarto.

“É com imenso pesar a morte do pastor Guilherme de Pádua após sofrer um infarto na residência em que morava em Belo Horizonte. Com 53 anos recém-completados no último dia 2 de novembro, Guilherme compunha o time pastoral da Lagoinha desde sua ordenação, em 2017, liderando o ministério Recomeço, que atua dentro e fora dos presídios da capital mineira e região metropolitana”, diz o comunicado.