O perfil do pastor Márcio Valadão no Instagram retirou do ar a live do anúncio da morte de Guilherme de Pádua. Líder da Igreja Batista da Lagoinha, da qual Guilherme era pastor, Márcio Valadão foi responsável por tornar público o falecimento do assassino confesso de Daniella Perez.

Por volta das 23 horas (hora de Brasília) deste domingo (6), o religioso abriu uma live em seu Instagram e deu a notícia. Imediatamente, a live viralizou, especialmente pelo fato do pastor ter anunciado a morte de Guilherme com um sorriso no rosto.

Horas depois, já na manhã desta segunda (7), a transmissão ao vivo já não se encontra no perfil do pastor Márcio Valadão. No entanto, no YouTube, é possível conferir o vídeo na íntegra, sem cortes. Veja abaixo:

Nota oficial

Após apagar a live, o pastor Márcio Valadão publicou em seus stories uma nota de pesar oficial falando de Guilherme de Pádua. Confira o comunicado completo:

“É com imenso pesar a morte do pastor Guilherme de Pádua após sofrer um infarto na residência em que morava em Belo Horizonte. Com 53 anos recém-completados no último dia 2 de novembro, Guilherme compunha o time pastoral da Lagoinha desde sua ordenação, em 2017, liderando o ministério Recomeço, que atua dentro e fora dos presídios da capital mineira e região metropolitana.

Antes disso, já havia sido acolhido como ovelha e servia como voluntário nas mais diversas áreas, sempre lidando com os desprezados e marginalizados. Milhares de pessoas privadas de liberdade foram, ao longo desses anos, cuidadas, ministradas no conhecimento da Bíblia e receberam apoio social, jurídico e psicológico do ministério, que também desenvolve dezenas de projetos de profissionalização e reintegração social.

Ele não era visto pregando para multidões, mas atuava diariamente nas mais diversas obras com aqueles que a sociedade, muitas vezes, prefere jogar para escanteio. Guilherme testemunhou a possível transformação que há em Jesus. O recomeço reservado para todos aqueles que nEle creem.

A Igreja Batista da Lagoinha, desde o momento da conversão de Guilherme, abriu suas portas para ser, também, a sua casa. Guilherme pagou à Justiça o que ela lhe impôs, como cremos que deve acontecer, e nós, como Corpo de Cristo, nos posicionamos para sermos para ele e tantos outros já condenados por crimes diversos, aquilo que a Bíblia nos instrui: o lugar da nova chance que apenas Jesus pode dar ao que se arrepende.

Guilherme demonstrou ser alguém empenhado em mudar e em viver de acordo com a nova vida que experimentamos em Cristo Jesus. Ele jamais deixou de ser lembrado pelo crime que cometeu, mas pôde, em seus últimos anos, caminhar de acordo com a vontade do Pai sobre a sua história: ‘Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!’ (2 Coríntios‬ ‭5‬:‭17‬).”