O cascudo-viola é uma espécie de peixe classificada como criticamente em perigo de extinção pela plataforma Salve, do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade). Aqui em Mato Grosso do Sul, no Aquário do Pantanal, o pequeno peixe, de apenas 9,6 centímetros de comprimento, fica no complexo de água doce, onde os visitantes podem conhecer a espécie de perto e entender a importância da conservação.

Maria Fernanda Balestieri, diretora-geral do Aquário do Pantanal, ressaltou os trabalhos do CCPN (Centro de Conservação de Peixes Neotropicais), espaço que integra o complexo, onde são criados protocolos de reprodução, com atenção especial as ameaçadas ou com potencial ameaça de extinção.

“Contamos com mais de 250 reproduções, de 46 espécies distintas, dentre as quais 12 registros são inéditos para a ciência no mundo e nove no Brasil. Vibramos com cada vida que pulsa aqui no Bioparque e nos orgulhamos de estarmos cumprindo nosso propósito”, declarou ela.

Para o biólogo curador do Aquário do Pantanal, Heriberto Gimênes Junior, “o fato de termos esse animal ameaçado de extinção dentro do nosso plantel, nos possibilita entender a biologia dele, hoje ele é nosso modelo de protocolo de reprodução que usamos para outras espécies de cascudo, uma ferramenta muito importante para a conservação das espécies, não só do Cascudo-viola, como espécies de todo o país”, explica.

Para quem quiser conhecer o cascudo-viola, ele habita o tanque Ressurgências e Riachos de Cabeceira. O Aquário do Pantanal fica na Av. Afonso Pena, 6277, na Chácara Cachoeira.