Anualmente avaliada em novembro, o Consórcio Guaicurus considera que o reajuste da passagem do transporte público de Campo Grande pode chegar a R$ 8. A negociação será debatida com a Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande) para ser válida em 2023.

Atualmente, a tarifa custa R$ 4,40 aos passageiros, mas de acordo com o diretor-executivo do consórcio, Robson Strengari, o novo preço considera diversos fatores, como a alta do combustível e INPC (Índice Nacional de Preço ao Consumidor).

“O estudo ainda não foi concluído e a Agereg que decide, mas o reajuste chega em torno de R$ 8. Ainda temos nesse mês a negociação de reajuste salarial de funcionários, temos assuntos em andamento para mudanças”, afirma.

Reajuste de R$ 6,16

Em junho deste ano, a empresa passou por greve de funcionários e julgamento de anulação de contrato de concessão. Nesse período, o grupo das empresas de ônibus apresentou ao município solicitação para reajuste da tarifa para R$ 6,16.

Conforme solicita o consórcio, o valor do vale-transporte poderia superar os R$ 6,16. O valor é R$ 1,01 acima da tarifa técnica em vigor na Capital desde janeiro de 2022. Para que o usuário não custeie integralmente a tarifa técnica, a prefeitura estabelece acordo com o consórcio que contempla isenções do ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) e aporte para custeio de gratuidades dos estudantes e idosos.

Prestação de contas

O consórcio chegou a prestar contas do TAG (Termo de Ajustamento de Gestão) na Escoex (Escola Superior de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul), dois anos após assiná-lo com o objetivo de revisar o contrato.

Em 2020, a empresa assinou contrato na gestão de Marquinhos Trad (PSD), que determinava as melhorias no transporte público da Capital, como instalação dos corredores de ônibus, segurança nos terminais, concursos para evitar atrasos e implementar a melhoria no serviço, diariamente criticado pelos usuários do transporte coletivo.

O Consórcio Guaicurus admitiu em reunião que cumpriu 5 dos 18 pontos do TAG firmado, no entanto, condicionou a aplicação das mudanças ao reajuste do passe de ônibus em 2023.