A Prefeitura de , 97 quilômetros de , identificou três fossas sépticas nas proximidades da casa onde vivia Maria Fernanda, que morreu no domingo (1º) após ser picada por um escorpião.

Segundo o prefeito da cidade, João Alfredo Danieze, a equipe municipal detectou, em conversa com familiares da vítima, a existência das fossas, ambiente propício para infestação do animal peçonhento, no do Trabalhador. Agora, o local deve ser inspecionado e limpo.

“Não tínhamos essa informação anteriormente, então, agora, vamos levar nossa equipe [até lá]. Estamos fazendo mutirão de limpeza, com um cronograma e intensificando as ações. Já multamos 470 imóveis de terreno sujo, 678 notificações… Todos os bairros estão sofrendo com a mesma coisa: terreno sujo. Vamos trabalhar na conscientização, limpeza de casa. Não há um bairro com maior incidência de casos, o outro caso, do menino Pietro, que foi ficado ao vestir o sapato, foi no bairro Estoril. Nosso foco também é o bairro São João, com muitos terrenos sujos”, descreve.

Além das medidas já adotadas, Danieze ainda diz que serão intensificadas campanhas de conscientização para limpezas e cuidados com animais peçonhentos. “Semana passada fizemos o trabalho de limpeza em bairros. Precisamos intensificar isso com as famílias, o problema está no quintal de casa, no em frente de casa. Essa conscientização vamos fazer com anúncio na FM, blitz educativa em bairros e supermercados e com sons de aviso em bairros mais periféricos”.

Mortes

Duas crianças morreram após picada de escorpião, ambas foram transferidas para Campo Grande diante da gravidade. Maria Fernanda foi encaminhada primeiramente para a Santa Casa da capital, mas, devido à gravidade do estado de saúde, foi transferida para o Regional.

A confirmação do óbito foi praticamente no mesmo horário da alta de um menino de 8 anos, que também foi picado por um escorpião. Pietro Gabriel Arguelho, de 5 anos, morreu ao colocar um sapato, enquanto se arrumava para ir à escola. As três crianças são do mesmo município.

Infestação

A assessoria de comunicação informou que são feitas ações contínuas relacionadas a escorpião e arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti (responsável por dengue, zika e chikungunya) e o Mosquito-Palha (transmite a leishmaniose). 

Neste trabalho, os agentes de endemias visitam as residências, fazem a vistoria e dão orientações sobre o que precisa ser feito em determinado prazo. Posteriormente, os agentes retornam para verificar se as medidas foram cumpridas. 

Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e a Seinfra (Secretaria Municipal de Infraestrutura Pública) de Ribas do Rio Pardo fazem parceria para a retirada de entulhos em ruas, terrenos baldios e, a depender do caso, até de áreas privadas que têm trazido transtornos para a população. 

Os casos de picadas de escorpião são encaminhados para o Hospital Municipal José Maria Marques Domingues, o mesmo para o qual Pietro foi encaminhado, para receber o soro antiescorpiônico.