À espera de conclusão de ponte, empresários no Tijuca veem prejuízos respingarem no comércio

Sisep informou que empreiteira segue cronograma e deve concluir a obra em 60 dias
| 27/01/2022
- 19:03
À espera de conclusão de ponte, empresários no Tijuca veem prejuízos respingarem no comércio
Leonardo de França, Midiamax

Com obra licitada no valor de R$ 693 mil e iniciada 4 meses depois, a ponte sobre o Córrego Lagoa na Avenida Panambi Vera, no São Conrado, encerrou o seu primeiro mês de obras após um ano de interdição sem interferências. Um dos únicos acessos aos bairros São Conrado e Santa Emília, os comerciantes de bairros vizinhos afirmaram que prejuízos 'respingam' no Jardim Tijuca.

[Colocar ALT]
Foto: de França, Midiamax

Dos 360 picolés que vendia por dia, hoje, a comerciante Ana Alves, de 54 anos, vende apenas 45. Dona de uma sorveteria a poucos metros da obra, ela diz que a interdição, que completou um ano em dezembro, deixou prejuízos para os dois lados da ponte.

“Não sei como ainda estamos aqui, do jeito que está, já era para ter fechado as portas com os prejuízos. Tem dias que meu esposo diz que não tirou [o dinheiro] nem da gasolina. Essa ponte quebrou todo mundo”, disse a comerciante.

Sócio e proprietário de um depósito de materiais de construção, Pedro Pereira dos Santos, de 59 anos, disse que o movimento de clientes caiu cerca de 40% depois da interdição da ponte. “É muito transtorno. Os moradores e clientes têm que ficar dando voltas no bairro. E parece que esses funcionários [da empreiteira] vêm, mexe em alguma coisa e depois larga. Não estão concretando nada. É mais cera que trabalho”, comentou.

Dono de lava jato, Marcos Vilalba, de 43 anos, disse que a clientela caiu 80%. “A rua aqui morreu. O comércio do outro lado da ponte também morreu. Aqui só não fechei porque o prédio é próprio, mas estou trabalhando praticamente para pagar funcionário”, explicou o comerciante.

A (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), disse que a obra segue o cronograma previsto e está em fase de aplicação de concreto armado. Porém, o serviço sofre interrupções em dias chuvosos. Por fim, disse em nota que a obra deve ser finalizada em 60 dias.

A empreiteira Solução Engenharia venceu a licitação no dia 20 de setembro por R$ 693 mil. Na época, foi informado que a empresa iniciaria a obra ainda em outubro, assim que fosse dada a ordem de serviço. Porém, a obra começou por volta do dia 10 de dezembro e deve terminar em 10 de março.

 

Veja também

A PMA (Polícia Militar Ambiental de São Gabriel do Oeste captura serpente em ferro velho...

Últimas notícias