Cotidiano

Ponte completa 1 ano interditada no São Conrado e moradores ironizam: ‘cadê o bolo de aniversário?’

Obra de manutenção na ponte foi licitada há quase três meses no valor de R$ 693 mil

Mariane Chianezi Publicado em 06/12/2021, às 16h01

None
Leonardo de França, Midiamax/de arquivo

Com obra licitada no valor de R$693 mil há quase três meses, a ponte sobre o Córrego Lagoa na Avenida Panambívera, no São Conrado, completou um ano de interdição. Nas redes sociais, moradores 'celebraram' a data e ironizaram: "cadê o bolo de aniversário?".

[Colocar ALT]
Foto: Reprodução

Um internauta pontua que a região é esquecida e fala sobre o retorno que os motoristas precisam dar. "A gente que lute para dar a volta, como se a gasolina estivesse barata. Sem contar aqueles milhões jogados no lixo na [obra da] Ernesto Geisel", comentou.

Outro morador diz que desistiu de acreditar que a ponte terá manutenção. "Isso aí dá problemas há anos, duvido que vai ter solução. O jeito é comprar um bolo e ir comemorar o aniversário desse descaso", disse. Outro brinca: "Nem para rolar um show gratuito como forma de comemoração".

A empreiteira Solução Engenharia venceu a licitação no dia 20 de setembro e, na época, foi informado que a empresa iniciaria a obra ainda em outubro assim que fosse dado a ordem de serviço.

Passados quase três meses, a Prefeitura Municipal informou que a obra ainda não iniciou por que "cálculos estruturais adicionais estão sendo feitos" na ponte para dar início à obra.

Vale lembrar que, assim que a ordem de serviço for dada, a empresa ainda terá o prazo de 90 dias para terminar a obra.

Carro ‘engolido’ por cratera

Em janeiro de 2013, uma cratera perto da ponte ‘engoliu’ um Fiat Palio enquanto motorista dirigia. O desmoronamento que engoliu o carro de um eletricista, na época com 36 anos, aconteceu também durante uma época chuvosa e acabou gerando grande transtorno para os moradores da região.

Na ocasião, a Secretaria de Infraestrutura revelou que o trecho de 40 metros da tubulação era de plástico e após incidente, foi substituído por tubulação de concreto.

No dia do ocorrido, o motorista, Rodrigo Soares, disse ao Jornal Midiamax que se sentiu aliviado por ter conseguido sair do carro ileso e com a garantia de que seria indenizado. Ele contou que sentiu uma vibração no carro e viu a parte da frente do veículo afundando. “Tentei engatar a marcha ré, mas o carro não se locomoveu. Foi tudo muito rápido, tive sorte da porta não travar, peguei a carteira e sai do carro”.

Posteriormente, o eletricista recebeu da Prefeitura Municipal R$ 12 mil para comprar outro carro. O Pálio engolido pela cratera foi avaliado na época em R$ 14 mil.

Jornal Midiamax