Dinheiro suspeito estaria adiando decisão sobre aliança para eleições de 2022 em MS

Plano mirabolante envolveria dinheiro suspeito em prestação de contas eleitorais
| 02/05/2022
- 10:54
dinheiro suspeito em MS
Oferta de dinheiro suspeito teria atrapalhado acordo eleitoral em MS (Ilustração, Web)

"Quando a esmola é demais, o santo desconfia", diz adágio popular que explica porque decisão sobre aliança previamente costurada estaria demorando. Segundo consta, dinheiro teria entrado na conversa e preocupado um dos lados.

Como nas eleições de 2022 um dos focos da deve ser a origem dos recursos, envolvidos teriam achado a proposta 'boa demais' para ser verdade.

Quem participou de uma das conversas reservadas andou revelando que os planos e números pareceram fantasiosos até mesmo para os mais empolgados sonhadores.

Além disso, um dos avisos teria sido justamente para que a origem do dinheiro suspeito não fosse questionada.

Dinheiro suspeito, mas contabilizado

No entanto, apesar do alerta para não questionar de onde viria a grana, dizem que o plano seria contabilizar tudo. Ou seja, alguém teria que 'esquentar' o dinheiro suspeito para aparecer na prestação de contas eleitorais.

Um dos pontos de negociação seria como lidar com eventuais sobras de campanha, que acabariam sendo uma forma de recolocar o dinheiro à disposição para uso após o período eleitoral.

Informação foi balde de água fria em acordo que alguns já davam como certo e as conversas em Mato Grosso do Sul teriam sido reabertas.

Sabendo de algo que MS precisa saber? Conta pro Midiamax!

Nem precisa ser sobre servidores de elite tratados como jagunços. Se você está por dentro de alguma informação que acha importante o público saber, fale com jornalistas do Jornal Midiamax!

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Veja também

Em pleno ano eleitoral, erro grave revoltou até servidores de elite que se sentiram expostos à morte como jagunços

Últimas notícias