Após a Municipal receber pedido de cassação do mandato do prefeito José Paulo Paleari (PP), o gestor alega ‘perseguição política'. O pedido aponta suspeita de favorecimento na empresa do próprio prefeito.

“As denúncias são infundadas: jamais neguei qualquer tipo de documento ou informação para qualquer pessoa que quiser fiscalizar a administração”, disse ao Jornal Midiamax. Além disso, afirmou que era empresário antes da gestão. “Quanto às empresas, também não tenho preocupação, exerço atividade empresarial muito antes de ser prefeito, e sempre com ética e muita responsabilidade”, lembrou.

Para ele, “esse tipo de denúncia é normal”. Isso porque justifica que “os grupos políticos que historicamente comandaram querem achar alguma forma desesperada de atingir nossa administração, que fez muito mais que eles em muito menos tempo”.

Por fim, José disse que irá provar estar dentro das regularidades. “Vamos provar que não há nada de errado, e confiamos no julgamento dos vereadores que são parceiros da administração e do desenvolvimento do nosso município”, pontuou.

Denúncia

Câmara Municipal de Nova Alvorada do Sul recebeu um pedido de cassação do mandato do prefeito José Paulo Paleari (PP). A denúncia acusa José de favorecer uma de suas empresas. Além disso, afirma que o prefeito não responde aos requerimentos de vereadores.

O pedido foi protocolado na segunda-feira (8) por um morador da cidade. Na peça, consta que Paleari seria sócio-administrador da empresa GP Negócios Imobiliários. Porém, segundo a Lei Orgânica do Município, prefeitos não podem estar vinculados a empresas quando assumem o cargo.

“Cabe informar que no benefício próprio e de sua empresa, o mesmo construiu uma quadra de esportes, em parceria com Governo do estado, no loteamento de propriedade da empresa. Com poder de prefeito o mesmo indicou o local para ser construída a obra, sendo que o município tem várias outras áreas disponíveis, e áreas mais carentes no município, não somente em loteamento particular, sem quase residências no entorno da construção”, escreveu.

A arena esportiva faz parte do programa MS Bom de Bola. No entanto, a reportagem não encontrou dados sobre a construção do complexo alvo da denúncia.