'Sou pré-candidato pelo União, o Harfouche tem que se ver com o Avante', diz Mandetta

Ex-ministro descarta disputar como deputado federal e diz que Harfouche terá que procurar espaço no própiro partido
| 14/07/2022
- 12:01
'Sou pré-candidato pelo União, o Harfouche tem que se ver com o Avante', diz Mandetta
Mandetta em evento nesta quinta em Campo Grande (Henrique Arakaki, Midiamax)

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, do União , esteve em agenda nesta quinta-feira (14) em Campo Grande e reiterou que ele é o pré-candidato ao pelo partido. Apesar da sigla afirmar nesta semana que haverá votação durante a convenção para escolher quem disputará pela legenda, Mandetta disse que Sérgio Harfouche (Avante) terá que se entender com o 'partido dele'.

"Sou pré-candidato ao Senado e o União Brasil é o União Brasil. O Harfouche que tem que ver se ver com o Avante", disparou. Mandetta também descartou participar do pleito como pré-candidato a deputado federal. "É isso. O presidente do partido, Luciano Bivar, me apoia como o pré-candidato", disse, encerrando a conversa.

Apesar de coligação, candidato único ao Senado

O União Brasil informou nesta quarta-feira (13) que marcou convenção do partido para o dia 22 de julho em Campo Grande, quando deverá ser anunciado o vice na chapa da pré-candidata ao Governo do Estado Rose Modesto. O local deverá ser definido até o final desta semana.

Já o candidato ao Senado será definido por votação na convenção partidária, segundo a senadora Soraya Thronicke, que é presidente estadual do União Brasil. Luiz Henrique Mandetta é o apontado pela sigla para ser o candidato, assim como Sérgio Harfouche (Avante). "Se ele obtiver o número de votos necessários, será o nosso candidato ao Senado nas eleições deste ano", disse, sobre quem for o mais votado na convenção.

Isso porque partidos coligados, mesmo que para concorrer ao Governo do Estado, não podem ter mais que uma vaga ao Senado. Essa é uma decisão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) do último dia 21. Por maioria de votos, os ministros mantiveram a jurisprudência da Corte no sentido de vedar a possibilidade de que as agremiações que se uniram para disputar a vaga de governador formem coligações distintas com o intuito de concorrer ao Senado Federal.

Veja também

Últimas notícias