Sete projetos de lei estão pautados na sessão de quinta-feira (24), na Câmara Municipal de Campo Grande. A reunião está prevista para as 9h e será transmitida nas redes sociais. A população pode também acompanhar de forma presencial.

Entre as medidas, será avaliada a criação do programa de ensino sobre história de mulheres, como conteúdo transversal em disciplinas curriculares das escolas da Reme (Rede Municipal de Ensino).

O autor da proposta é o presidente da Casa de Leis, vereador Carlos Augusto Borges, conhecido como Carlão (PSB). Segundo divulgado, o objetivo é promover o conhecimento de história de movimentos que contribuíram para o empoderamento feminino.

Além disso, os vereadores vão analisar a criação do corredor comercial no Bairro Los Angeles. Na verdade, a medida é autorizativa, ou seja, caso seja aprovada, ainda caberá ao município a decisão sobre cumprir ou não. Tiago Vargas (PSD) é o autor da proposta.

O vereador Gilmar da Cruz (Republicanos) apresentou projeto que cria o programa Empresa Amiga do Surdo, para locais que promovem acessibilidade para pessoas com deficiência e que disponibilizam capacitação técnica em Libras aos funcionários.

Mais projetos

Está na pauta, ainda, proposta para criação de política de prevenção e conscientização às amputações em pessoa em decorrência de diabetes ou provocada por lesão física ou trauma. Quem apresentou foi o vereador Otávio Trad (PSD).

Os vereadores Papy (SD) e Gilmar da Cruz são autores da proposta que visa criar Sala do Afeto, para acolher crianças, adolescentes e adultos autistas e seus acompanhantes, em momentos de ansiedade e agitação.

Está na relação de medidas a serem votadas, a criação de programa de doação de frascos de vidro, que pode ser chamada de Doe Frascos de Vidro – Amamentação Solidária. A proposta é dos vereadores Willian Maksoud (PTB) e Carlão.

Por fim, os parlamentares vão discutir a medida sobre obrigatoriedade de divulgação das contas mensais de água e energia, criando medidas de economia para as edificações que estejam sob a responsabilidade de órgãos do poder público municipal.