Sérgio Harfouche pede aposentadoria do MPMS para ser pré-candidato ao Senado

Até então, Sérgio Harfouche disputaria o cargo como licenciado do MPMS
| 30/05/2022
- 10:07
Sérgio Harfouche
Alberto Schlatter, escolhido como primeiro suplente, e Sérgio Harfocuhe. - (Foto: Divulgação, Arquivo Pessoal).

O procurador do MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) afirma que pediu aposentadoria do cargo e vai concorrer ao pelo Avante. Até então, ele já era considerado pré-candidato ao parlamento federal, no entanto, na condição de procurador licenciado.

"Tomei decisão, não retorno mais ao Ministério Público e vou deixar então o meu eleitor mais seguro em relação à minha candidatura, cada voto meu será válido", afirmou nesta segunda-feira (30).

Segundo o então procurador, o pedido de aposentadoria foi feito ainda em 2021. Contudo, ele afirma que 'protelou' a definição sobre sua saída definitiva, também porque sua 'vontade' era não se aposentar, apenas se licenciar, e contar com a decisão de 2018, quando disputou o Senado.

Sérgio Harfouche

Na ocasião, Sérgio Harfouche teve a candidatura questionada porque apenas se licenciou para a disputa eleitoral. Os pedidos de impugnação, no entanto, foram negados tanto na Justiça Eleitoral do Estado quanto no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), onde a coligação apresentou recurso.

Já em 2020, quando a intenção foi chegar ao comando da Prefeitura de Campo Grande, a decisão foi diferente. "Foi uma decisão contrária ao parecer eleitoral e da juíza eleitoral [que tinham entendido positivamente a disputa só com desincompatibilização], teve divergência".

O questionamento poderia ocorrer novamente em 2022, citou o procurador, mesmo com lei orgânica e decisões favoráveis.

Ainda de acordo com Harfouche, o desligamento de fato do cargo é 'administrativo'. "Já foi feito o pedido, independentemente do que for, eu não retorno mais".

Suplente do Podemos

O pré-candidato ao Senado definiu o produtor de algodão Alberto Schlatter como primeiro suplente na disputa para o Senado. Ele é filiado ao Podemos, partido que, junto com o Avante, apoia a pré-candidatura de Rose Modesto (União Brasil) ao Governo de Mato Grosso do Sul.

Veja também

O partido também confirmou a pré-candidatura de Tiago Botelho na disputa ao Senado

Últimas notícias