O diretório estadual do PT (Partido dos Trabalhadores) de Mato Grosso do Sul repudiou a agressão sofrida pelo deputado estadual do partido, Pedro Kemp. Segundo a executiva da legenda, a violência foi um “produto de ódio”.

Pedro Kemp foi agredido neste domingo (27) na saída de uma igreja em Campo Grande. O parlamentar denunciou o caso em uma delegacia e disse que levou um soco no peito.

A situação ocorreu depois do encerramento de uma missa na Igreja Nossa Senhora da Abadia, nos altos da Avenida Afonso Pena, em Campo Grande. A nota do PT é assinada pelo presidente do diretório estadual, Vladimir Ferreira.

Assim, o diretório “repudia essa violência, produto do ódio presente em parte da sociedade, bolsonarista e fascista. Principalmente por ter ocorrido num espaço onde se prega a paz e o amor, com base no que pregou e viveu Jesus Cristo”.

O diretório destacou que o deputado estadual já registrou o boletim de ocorrência. Então, afirmou que espera que “a justiça responsabilize o autor dessa violência, para que novos episódios não venha ocorrer”.

“Reafirmamos nosso repúdio a toda violência expressada pelas manifestações antidemocráticas a parlamentares, lideranças e militantes do PT e do campo progressista e democrático”, finalizaram.

Kemp denúncia violência

O deputado de Mato Grosso do Sul Pedro Kemp (PT) procurou a Polícia Civil para denunciar injúria por parte de uma pessoa que o abordou na saída de uma igreja. O caso aconteceu no domingo (27).

Conforme informações obtidas, a situação ocorreu depois do encerramento de uma missa na Igreja Nossa Senhora da Abadia, nos altos da Avenida Afonso Pena, em Campo Grande.

O deputado disse que um homem o abordou de “forma ríspida e agressiva” pedindo para sair da lista de e-mails, panfletos e informações do parlamentar. Assim, Kemp questionou o nome do homem, que respondeu e apontou o dedo para fazer novamente o pedido.

Xingamentos contra deputado do PT

Pedro Kemp pediu para que o suposto autor baixasse a mão e, na denúncia, afirma que, a partir daquele momento, a pessoa começou a xingá-lo de “canalha, bandido e falso”, frase repetida algumas vezes.

A discussão continuou e o deputado perguntou se tal comportamento teria relação com ele ser do PT e ter votado no Lula. Por fim, o parlamentar pediu que fossem para a calçada, uma vez que, na frente da igreja, diversos fiéis presenciaram a discussão.

O deputado Pedro Kemp disse que levou um soco no peito e, nesse momento, algumas pessoas retiraram o autor, levando-o para dentro da igreja.