Com Bolsonaro 'mudo', Ucrânia pede que Brasil condene ataques e políticos de MS se manifestam

Silêncio do presidente é repercutido na tarde desta quinta-feira
| 24/02/2022
- 17:43
Presidente Jair Bolsonaro e Vladmir Putin
Presidente Jair Bolsonaro e Vladmir Putin, presidente russo - (Foto: Divulgação, Arquivo)

Até agora sem manifestação do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), sobre os ataques da Rússia contra a Ucrânia, políticos de e do Brasil se posicionam contra os conflitos.

O silêncio do mandatário do País é, inclusive, um dos principais assuntos repercutidos na tarde desta quinta-feira (24), enquanto, nas redes sociais vários líderes falam a respeito do assunto. A Ucrânia pediu há pouco que países como o Brasil condenem os ataques e enviem ajuda humanitária, armas e combustível, segundo divulgado pelo Congresso Em Foco.

Mais cedo, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), ex-presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, afirmou que o brasileiro é pacifista 'por genética' e que qualquer medida que conteste isso está indo contra a essência do povo. Ele espera que o presidente se manifeste em defesa da paz.

No mesmo sentido, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) disse que o conflito da Rússia contra a Ucrânia apresenta reação negativa em todos os países e que a busca tem de ser por solução de paz. Além disso, cobra que o preste assistência imediata aos brasileiros que estiverem nas regiões de conflito para que os tragam de volta ao Brasil em segurança.

A maioria da bancada de deputados estaduais também se manifestou contra os ataques da Rússia, além de repudiar solidariedade de Jair Bolsonaro ao país.

Veja também

Últimas notícias