Política

PSDB, PT e MDB perdem espaço e Assembleia terá deputados de 13 partidos em 2019

Além de não ter eleito nenhuma mulher no pleito de 2018, e de registrar um índice de renovação de 45,8%, o resultado final das urnas para eleição de deputado estadual mostrou que a Assembleia Legislativa terá 13 partidos a partir de janeiro de 2019. A maior bancada continua sendo a do PSDB, mas reduzida. Dos […]

Ludyney Moura Publicado em 07/10/2018, às 22h12 - Atualizado em 08/10/2018, às 11h04

Três maiores bancadas ficarão menores no próximo ano (Foto: Divulgação/Luciana Nassar/ALMS)
Três maiores bancadas ficarão menores no próximo ano (Foto: Divulgação/Luciana Nassar/ALMS) - Três maiores bancadas ficarão menores no próximo ano (Foto: Divulgação/Luciana Nassar/ALMS)
PSDB, PT e MDB perdem espaço e Assembleia terá deputados de 13 partidos em 2019
Três maiores bancadas ficarão menores no próximo ano (Foto: Divulgação/Luciana Nassar/ALMS)

Além de não ter eleito nenhuma mulher no pleito de 2018, e de registrar um índice de renovação de 45,8%, o resultado final das urnas para eleição de deputado estadual mostrou que a Assembleia Legislativa terá 13 partidos a partir de janeiro de 2019.

A maior bancada continua sendo a do PSDB, mas reduzida. Dos atuais oito parlamentares tucanos, a partir do próximo ano cinco deputados do PSDB vão compor a bancada da legenda, Onevan de Matos, Paulo Corrêa, Felipe Orro, Marçal Filho e Professor Rinaldo.

O MDB perdeu mais de metade de sua bancada, que caiu de sete representantes para apenas três, todos reeleitos. Permanecem na Casa, Renato Câmara, Marcio Fernandes e Eduardo Rocha.

Cinco partidos terão dois deputados cada um, a começar pelo PSL, que elegeu os dois mais votados nestas eleições, Capitão Contar e Coronel David. O DEM também terá dois deputados, ambos reeleitos, Barbosinha e Zé Teixeira.

O Partido dos Trabalhadores também perdeu metade de sua bancada, dos quatro atuais parlamentares, apenas dois seguem na Casa, também reeleitos, Cabo Almi e Pedro Kemp.

O SD terá dois deputados, o reeleito Herculano Borges e o vereador da Capital, Lucas de Lima. O PP também garantiu dois assentos na Assembleia, Gerson Claro e Evander Vendramini.

Outros seis partidos terão um representante na Assembleia. O PDT, com Jamilson Name, o Patriota, com Lídio Lopes, o PSD, com Londres Machado, o PTB, com Neno Razuk, o PRB, com Antônio Vaz e o PR, com João Henrique.

Confira percentual e número de votos de cada candidato eleito:

1º Capitão Contar (PSL) 6,11% 78.390 votos

2º Coronel David (PSL) 3,58% 45.903 votos

3º Jamilson Name (PDT) 2,64% 33.870 votos

4º Renato Câmara (MDB) 2,59% 33.291 votos

5º Onevan de Matos (PSDB) 2,40% 30.813 votos

6º Zé Teixeira (DEM) 2,40% 30.788 votos

7º Lidio Lopes (Patriota) 2,17% 27.877 votos

8º Paulo Corrêa (PSDB) 2,16% 27.664 votos

9º Felipe Orro (PSDB) 2,16% 27.661 votos

10º Barbosinha (DEM) 2,14% 27.492 votos

11º Marçal Filho (PSDB) 1,98% 25.437 votos

12º Professor Rinaldo (PSDB) 1,92% 24.593 votos

13º Marcio Fernandes (MDB) 1,82% 23.296 votos

14º Eduardo Rocha (MDB) 1,74% 22.347 votos

15º Cabo Almi (PT) 1,65% 21.121 votos

16º Pedro Kemp (PT) 1,63% 20.969 votos

17º Londres Machado (PSD) 1,62% 20.782 votos

18º Neno Razuk (PTB) 1,52% 19.472 votos

19º Herculano Borges (SD) 1,38% 17.731 votos

20º Gerson Claro (PP) 1,28% 16.374 votos

21º Antônio Vaz (PRB) 1,26% 16.224 votos

22º Evander Vendramini (PP) 0,98% 12.627 votos

23º Lucas de Lima do Amor Sem Fim (SD) 0,97% 12.391 votos

24º Joao Henrique (PR) 0,86% 11.010 votos

Jornal Midiamax