Política

Prefeitura gastou em 6 meses recurso do ano todo para conserto de ambulâncias, diz vereador

Após a denúncia feita pelo Jornal Midiamax, de que 10 viaturas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) estão encostadas à espera de conserto e apenas três à serviço da população, a comissão de saúda da Câmara da Capital revelou que a Prefeitura já gastou R$ 1,2 milhão com manutenção dos veículos. O dinheiro, […]

Ludyney Moura Publicado em 10/07/2018, às 11h35 - Atualizado às 18h33

None

Após a denúncia feita pelo Jornal Midiamax,de que 10 viaturas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) estão encostadas à espera de conserto e apenas três à serviço da população, a comissão de saúda da Câmara da Capital revelou que a Prefeitura já gastou R$ 1,2 milhão com manutenção dos veículos.

O dinheiro, segundo o vereador Enfermeiro Fritz (PSD), que é membro da comissão permanente de saúde da Casa, é oriundo do governo Federal e tinha previsão para durar o ano todo, mas foi gasto todo em apenas seis meses.

“A nossa frota é muito desgastada. Elas vêm para uma manutenção não muito efetiva porque elas rodam muito. Elas chegam a rodar mais de 30 mil Km por mês. Então tem um desgaste muito grande. A coordenação da manutenção não está em poder da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), está na secretaria de gestão”, revelou Fritz.

Prefeitura gastou em 6 meses recurso do ano todo para conserto de ambulâncias, diz vereador
Foto: Divulgação/Izaias Medeiros/CMCG)

O parlamentar pontua que ainda paira dúvidas sobre a utilização do recurso. O vereador quer saber se o dinheiro está sendo usado exclusivamente na manutenção das ambulâncias, ou se a verba estaria sendo destinada para outro fim.

“Muitas dessas ambulâncias saindo de manhã do conserto e a tarde já quebram”, frisou Fritz.

Ainda segundo o vereador, que conversou com a reportagem durante a sessão desta terça-feira (10) na Câmara de Campo Grande, o secretário de saúde já estaria com um ‘plano emergencial’ para ‘operacionalizar recurso para manutenção imediata’.

“E possibilidade de convênio para que os pacientes de transporte sejam feitos provisoriamente por uma contratação”, finalizou o vereador.

Jornal Midiamax