Depois de veto, ex-líder ironiza Bernal e relação com PT pode estremecer

Os petistas são alvos do prefeito para ampliar base
| 25/01/2016
- 23:05
Depois de veto, ex-líder ironiza Bernal e relação com PT pode estremecer

Os petistas são alvos do prefeito para ampliar base

Após ter projeto vetado pelo prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), conforme publicação do Diário Oficial desta segunda-feira (25), o vereador e ex-líder do progressista na Câmara Municipal, Marcos Alex (PT), usou as redes sociais para tecer críticas à atitude. Para isso ele usou o slogan de campanha e de administração do PP de forma irônica.

O texto, aprovado no final do ano passado pelos legisladores, prevê isenção do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para para mutuários dos programas habitacionais 'Minha Casa, Minha Vida', faixa social (áreas de desfavelamento e loteamentos sociais) do Executivo.

“Em primeiro lugar as pessoas? Onde? Somente na propaganda eleitoral. Lamentável e lastimável”, disse em publicação no Facebook. O slogan que Bernal sustentou em período eleitoral e que carrega até hoje durante discurso é “as pessoas em primeiro lugar”.

Entre as justificativas para o veto ele argumentou que “o Projeto de Lei invadiu a competência do Chefe do Poder Executivo Municipal, que detém a competência exclusiva para a iniciativa de leis tributárias benéficas, e, dentro de uma lei tributaria benéfica, concedendo de forma abrangente isenção de impostos e taxas, configurando, portanto, ofensa ao principio da harmonia e independência dos Poderes, elencados no art. 2° da Constituição Federal e, ainda, ao princípio da reserva de administração”.

Outras seis redações foram vetadas pelo prefeito, entre elas a que também diz respeito ao imposto. De autoria do vereador Coringa (PSD) o texto defende que pessoas com câncer não tenham que pagar o tributo. No caso de Alex a atitude de Bernal pode ter 'esfriado' reaproximação dele com o PT.

Depois de o partido ficar na base mesmo nos 17 meses de cassação, quando voltou o radialista não devolveu às pastas que até março de 2014 pertenciam à sigla. Desta forma a bancada do PT na Câmara Municipal rompeu com o Executivo e se declarou independente. No começo do ano o prefeito hasteou a bandeira da paz paa aumentar a base aliada.

Veja também

Foram cinco votos contrários ao pedido de cassação e três favoráveis

Últimas notícias