Deputados suspeitam de impacto na conta de luz e vão ao TJ para investigar Energisa

Membros da CPI querem derrubar impedimento 
| 20/05/2015
- 19:26
Deputados suspeitam de impacto na conta de luz e vão ao TJ para investigar Energisa

Membros da CPI querem derrubar impedimento 

Os membros da CPI da Enersul foram ao TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) nesta quarta-feira (20) para apresentar um agravo de instrumento pedindo para que os trabalhos da Comissão tenham prosseguimento. Para o presidente, deputado Paulo Corrêa (PR), há fortes indícios de que os pagamentos indevidos podem ter auxiliado no aumento da conta de energia.

“Já analisamos mais dados da auditoria e queremos investigar. Se em quarenta dias já descobrimos tantas coisas, vamos descobrir mais. Detectamos que foram transferidos recursos da conta da Enersul para pagar dívidas”.

Os deputados defendem a prerrogativa de a Assembleia investigar e esperam que a Justiça tenha o mesmo entendimento. Beto Pereira (PDT) também afirmou que o impedimento para o uso do nome da Energisa não tem fundamento. “Nas contas de luz até abril vinham os dois nomes, por isso batizamos a CPI assim”.

O documento é assinado pelo presidente da Assembleia, Júnior Mochi, o procurador-geral do Estado e os membros da CPI.

O TJMS mandou suspender a CPI após mandando de segurança impetrado pela empresa no último dia 4. Eles pediam que fosse impedida a quebra de sigilo bancário, o que também foi concedido, e alegavam que as investigações relacionadas ao nome Energisa prejudicava a imagem da empresa.

De acordo com o mandado, a Energisa pedia que os ofícios da CPI se ativessem ao tempo de gestão da Enersul, ou seja, até 11 de abril de 2014. A empresa também queria que o desembargador do Tribunal de Justiça determine limitação de tema a investigação, impedindo que os deputados falem sobre tarifas da concessionária e que a CPI seja chamada somente de “CPI da Enersul”, retirando o nome da rede. A decisão é do desembargador Dorival Renato Pavan. 

Beto Pereira disse que os deputados Paulo Corrêa, Pedro Kemp (PT) e Mochi foram recebidos pelo presidente do TJMS, João Maria Lós, que se comprometeu a analisar o recurso o mais rápido possível, mas sem estabelecer prazo. 

Veja também

Vice-presidente da Corte falou sobre assunto na sessão desta quarta-feira.

Últimas notícias