Depois de decidir aderir à base aliada do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), o vereador Paulo Pedra foi afastado da presidência municipal do PDT de Campo Grande. O presidente regional, João Leite Schimidt, afirmou que a mudança não foi retaliação.

“Ele continua no diretório, mas não na presidência”, afirmou o dirigente estadual. Schimidt ainda disse que o afastamento não está ligado à divergência de ideias sobre a eleição deste ano e nem pelo fato de ter aderido à base de Bernal. “Ele foi liberado para tomar a posição que quiser”, completou.

Conforme o dirigente, o mandato do diretório municipal já venceu e as eleições gerais foram marcadas para março deste ano. Até lá Wilson Fernandes vai comandar o partido na Capital. Schimidt ressaltou que a intenção foi prestigiar os movimentos comunitários e que Pedra poderá disputar a eleição para voltar ao cargo.

Apesar de o presidente regional afastar a ideia de retaliação, Schimidt e Pedra têm divergido em muitos assuntos relacionados ao partido. O vereador defende o apoio à candidatura do senador Delcídio do Amaral (PT), enquanto o dirigente luta por candidatura própria.

Pedra até ameaçou se licenciar do partido se o PDT não fechar aliança com PT por “ter compromisso com o senador”. Além disso, Delcídio apoia a administração municipal.