Um caminhoneiro foi filmado fazendo ultrapassagem indevida no mesmo local onde aconteceu um acidente que resultou na morte de duas pessoas na BR-158 entre e . O veído foi feito menos de 24 horas após o acidente fatal.

A imagem mostra quando um caminhoneiro faz ultrapassagem em faixa contínua na ponte Rio Verde. A pessoa que fez as imagens comenta sobre o acidente que teve no local e afirma: “Aí ó poda na faixa contínua. Em cima da ponte, no mesmo lugar que aconteceu o acidente. Os caçambeiros não respeitam ninguém”, diz no vídeo.

Segundo o Perfil News, a PRF informou que a suspeita é de que o condutor do caminhão caçambeiro que teria provocado o acidente na quinta-feira (5).

A para ultrapassagem forçada é de R$ 2.934,70 e gera da habilitação, já a para ultrapassagem em local proibido é de R$ 1.467,35 e 7 pontos na carteira.

Vale lembrar que apesar do flagrante, a pessoa que fez a filmagem também cometeu infração de . Segundo o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) dirigir com apenas uma das mãos é infração média, porém se torna gravíssima no caso de o condutor estar segurando ou manuseando telefone celular. Penalidade que pode gerar multa de valor R$ 293,47 que ainda pode sofrer acréscimos de acordo com o índice de periculosidade, fora isso uma infração gravíssima soma sete pontos no registro da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do motorista.

Acidente fatal

Conforme o registro policial, o acidente envolveu o caminhão que transportava eucalipto conduzido por Samuel e um caminhão caçamba, onde estava José. Assim, outro caminhoneiro testemunhou o acidente e relatou o ocorrido.

Ele disse que dirigia o caminhão sentido a Três Lagoas, quando viu o caminhão na pista contrária, “comendo faixa”. Então, conseguiu desviar, mas foi atingido na lateral esquerda e teve o para-choque e para-brisa quebrados.

Em seguida, o caminhão caçamba atingiu o caminhão madeireiro que seguia atrás. Com a frontal, houve o incêndio que matou os dois caminhoneiros carbonizados.

José Antônio Araújo e Samuel Pereira Fernandes morreram no local. José era morador em Nova Londrina, no Paraná.