O trio de ‘habilidades criminosas' que tentou furtar uma agência bancária na cidade de Bataiporã, a 306 quilômetros de Campo Grande, foi transferido para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados). O trio foi preso em no dia 7 deste mês.

Foi feito novamente um pedido da revogação da preventiva dos autores, o que foi negado pela Justiça. “A necessidade de prisão preventiva também se depreende pela tentativa de fuga dos autuados ao avistarem a guarnição policial, sendo perseguidos por alguns quarteirões.”, finalizou a decisão.

O trio faria parte de um grupo criminoso de assaltos a bancos em Mato Grosso do Sul, escolhendo cidades do interior do Estado com segurança reduzida e consideradas ‘pacatas'.

Habilidades criminosas

Segundo o relatório feito pelo (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) sobre o trio preso, os homens são qualificados com ‘habilidades criminosas desenvolvidas, o grupo seria ‘extremamente organizado'.

Vestígios de materiais apreendidos com o trio demonstraram a participação deles em grupos de assaltos a bancos no Estado, como um serracopo usado pelo trio. Outro elemento seria a ‘assinatura' do grupo criminoso, uma técnica usada para fazer cortes em caixas eletrônicos, muitos similares à ‘assinatura' deixada na agência de Juti.

O trio falou em depoimento que havia escolhido a cidade de pela internet, por se tratar de um lugar que não tinha muita segurança e por descobrirem que nem sistema de monitoramento tinha na agência bancária.

O plano do trio era furtar R$ 200 mil. Eles disseram não saber o que iriam fazer com o dinheiro, já que não sabiam se teriam sucesso com o furto.