Policiais civis de Antônio João estão alertando a população para a circulação de notícias falsas sobre a prisão do atirador, que está atacando carros e motos na MS-384 e MS-164, rodovia próxima à fronteira com o Paraguai. É importante ressaltar que até o momento o autor não foi capturado pela polícia.

“A Polícia Civil, por intermédio da 1ª Delegacia de Polícia e da Delegacia de Antônio João, pede colaboração da população para que não compartilhem imagem de pessoas, tampouco notícias falsas a respeito de suspeitos, eis que as investigações estão em andamento”, informou a DP da cidade. 

O homem começou os ataques no dia 13 de outubro, quando atirou em diversos veículos em um trecho da MS-384, sentido Antônio João. Nesse fim de semana, ele voltou a atacar atingindo um funcionário de uma , que conduzia uma motocicleta, no rosto. Até agora, uma moto e também oito carros foram atingidos pelos disparos. 

A polícia ainda reforçou que a investigação continua para que o autor dos crimes seja identificado e localizado. “Reiteramos que as investigações continuam visando a identificação do verdadeiro autor”, finalizou, pedindo que a população não compartilhe informações falsas. 

Atirador já feriu quatro pessoas nas rodovias

A última vítima, o funcionário de uma fazenda, voltava do trabalho de moto e foi atingido no rosto pelo atirador. Dessa vez a vítima dirigia no sentido Antônio João-Itamarati quando uma pessoa apareceu no meio da pista com uma lanterna e fez disparos contra o motociclista.

Uma das balas atingiu o rosto do funcionário, que conseguiu chegar a uma propriedade e pedir socorro. Ele foi levado para o da Vida em .

Além do funcionário, três pessoas que estavam nos veículos trafegando pelas rodovias foram feridas por estilhaços provocados pelos na lataria e nos vidros.

Após o ataque ao funcionário da Fazenda Santa Virgínia, moradores da região que costumam trafegar por essas duas rodovias espalham avisos de alerta pelas redes sociais.

Segundo informações, o ‘maníaco’ se esconde na mata e utiliza uma lanterna para sinalizar sua presença antes de abrir fogo contra os veículos. A rodovia é conhecida pela densa mata, distante aproximadamente 10 quilômetros da zona urbana.

A polícia trabalha com a hipótese de que o suspeito pelos crimes seja o mesmo.

Saiba Mais