O padrasto de uma que foi estuprada durante um ano foi condenado pela Justiça de Mato Grosso do Sul. A condenação foi publicada em Diário da Justiça desta terça-feira (5). O crime aconteceu em 2020.

Segundo consta, a criança relatou a uma tia que estava sendo estuprada pelo padrasto e, após isso, a criança foi levada para uma psicóloga, onde contou que o padrasto sempre cometia os estupros à noite quando sua mãe dormia. 

Ela relatou que dormia na mesma cama que a mãe e o autor que sempre colocava algum para assistir e quando a esposa dormia cometia os estupros contra a enteada. Os abusos aconteceram durante 1 ano. Após a revelação, a criança foi morar com a avó em outra cidade e o autor preso.

O homem foi condenado a 22 anos e 6 meses de prisão em regime fechado e a pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 30 mil.