O ladrão que invadiu o condomínio de luxo, Damha II, em Campo Grande, na madrugada de sábado (11), pela rede para furtar uma residência tentou se esconder na casa do apresentador Tatá Marques. Ele foi encontrado e preso. Nesta segunda-feira (13) foi determinada sua prisão preventiva em audiência de custódia. 

Após entrar no condomínio pela rede de esgoto, arrombar uma casa e furtar joias, perfumes, relógios e outros objetos, o bandido tentou se esconder no da residência do apresentador Tatá Marques, mas câmeras de segurança do condomínio já tinham mostrado a sua localização.

Os seguranças foram até o local e localizaram o autor, com uma mochila com os objetos furtados. Ele foi preso em flagrante e levado para a delegacia. O autor já tem passagens por furto e tráfico de drogas e disse que tinha um comparsa que o estava esperando do lado de fora do condomínio. O comparsa não foi encontrado.

Ele permaneceu em silêncio não dizendo o que faria com os objetos furtados. Foi determinada a prisão preventiva dele nesta segunda (13), apesar do pedido de liberdade feito pela defesa com uso de tornozeleira.

O Jornal Midiamax tentou entrar em contato com o apresentador para saber sobre o caso, mas não conseguimos contato. O espaço segue aberto para futuras manifestações. 

A invasão pela rede de esgoto

O crime aconteceu depois da meia-noite e foi percebido, quando o segurança do condomínio flagrou um homem suspeito pelas ruas do residencial com uma maleta que havia furtado da casa depois de arrombar a porta da residência. Com o estavam joias, semijoias, perfumes, relógios, sapatos, máquina de cortar cabelo e dinheiro.

O ladrão foi detido até a chegada dos policiais e quando os militares chegaram ao condomínio, o autor contou que invadiu o residencial pela rede de esgoto. Segundo o segurança do condomínio, o local é monitorado por câmeras e sensores. 

Ele foi algemado já que estava alterado e foi levado para a delegacia. Os objetos furtados foram devolvidos à médica.

Onda de furtos em condomínios de luxo

Em setembro de 2022, uma quadrilha especializada em furtar condomínios de luxo em Campo Grande foi presa. Na época, 8 pessoas foram presas na Operação Patrimonium, acusadas de integrarem quadrilha que cometia furtos em condomínios de luxo da cidade. Quatro suspeitos já tinham sido presos em abril e chegaram a revelar que trabalhavam na construção civil dos condomínios, atuando como ‘observadores’ para o grupo.

A operação prendeu os integrantes da associação criminosa que tinha como alvo os condomínios principalmente na área central da cidade. Dos presos, quatro eram da mesma família, sendo o alvo principal, a namorada, o cunhado e a sogra.

Durante as investigações, a polícia identificou 6 furtos qualificados e uma tentativa de furto em diferentes condomínios de Campo Grande. As duas mulheres eram responsáveis por venderem os produtos furtados e pela lavagem de dinheiro.

Já os outros eram mentor e executores dos furtos. Dois dos alvos também acabaram presos em flagrante por tentativa de furto à uma casa no Bairro Antônio Vendas. O oitavo indivíduo preso na era foragido da justiça e foi encontrado em um dos domicílios dos alvos.

Saiba Mais