Antônio da Hora Souza, de 65 anos, encontrado carbonizado em um terreno em frente a sua casa, no bairro São Conrado, em Campo Grande, tinha o hábito de colocar fogo no lugar onde teve o corpo localizado, segundo vizinho do idoso.

O corpo de Antônio foi encontrado na tarde de segunda-feira (6) pelo Corpo de Bombeiros após o chamado para que apagassem um incêndio no terreno baldio. De acordo com o vizinho do idoso, ele bebia com frequência e em grande quantidade.

O morador ainda falou que Antônio colocava fogo com habitualidade no terreno onde ele foi localizado. O filho da vítima foi até o local e relatou que não morava com o pai devido a ele beber com frequência. 

Os policiais foram até a casa de Antônio que fica em frente ao terreno e não encontraram nenhum sinal de arrombamento, nem de luta corporal. A vítima não tinha sinais de lesões a não ser as queimaduras provocadas pelo incêndio. Quando atendeu ao caso, o delegado Camilo Kettenhuber, da 6ª Delegacia de Polícia Civil, disse não ser possível informar a causa da morte e que, de acordo com as circunstâncias analisadas no local, existem duas linhas de investigação.

“Trabalhamos com duas possibilidades: uma é de que ele pode ter ateado fogo enquanto estava carpindo e nisso, as chamas terem se alastrado e ele inalado a fumaça ficando desacordado. O fogo tomou parte do corpo e veio a óbito”, analisa.

A segunda possibilidade, de acordo com o delegado, é que a vítima tenha sofrido um mal súbito antes das chamas começarem. “Ele pode ter tido um mal súbito e alguém colocado fogo numa parte do terreno. Como o tempo está seco, o fogo se alastra rápido, e pode ter tomado parte do corpo dele”.

Bombeiros chamados para apagar fogo

Conforme informações do Corpo de Bombeiros, a equipe foi acionada para controlar um incêndio. Durante o trabalho, os militares encontraram o corpo carbonizado na mata. Os militares disseram que o corpo não apresenta sinais de violência e que o idoso teria morrido recentemente.

Vizinhos disseram à polícia que Antônio morava na frente do terreno e capinava o local com frequência. Um dos moradores informou que a vítima havia sofrido um mal-estar no mesmo local há poucos dias. Um filho da vítima esteve no local e conversou com os policiais.