De segunda-feira (11) até a madrugada desta sexta (15), 14 pessoas morreram em em casos violentos. Há vítimas de acidentes de trânsito, homicídios, feminicídio e até acidentes de trabalho. 

Entre a noite de segunda e madrugada de terça-feira (12), Celso Aurelindo de Oliveira, de 32 anos, morreu em confronto com a Polícia Militar, após tentar matar um morador de 62 anos a facadas, no das Macaúbas, em Campo Grande.

A polícia, ao chegar à residência da vítima, encontrou o autor que tentava se esconder. Ele estava com uma faca e desobedeceu à ordem para soltá-la, quando um policial fez um disparo contra Celso. Ele foi socorrido, mas morreu na UPA Moreninhas. 

Na noite de segunda-feira, o corpo de Gislaine Aparecida Gonçalves Martins, de 30 anos, foi encontrado com uma facada no pescoço em Dourados. Após ser assassinada, o corpo foi deixado em cima da cama. O filho da vítima de 8 anos, enteado do autor, ficou ao lado do corpo. Ela foi morta na noite de domingo, mas o corpo só foi encontrado na noite de segunda. O marido voltou à noite e se apresentou aos policiais para perguntar o que tinha acontecido. Ele disse que tinha recebido uma ligação em que foi informado que ela estava morta. Em seguida, confessou o crime e acabou algemado no local.

Na tarde de terça, foi encontrado o corpo de Valdomiro Pereira, de 54 anos, com três tiros no tórax, no Assentamento Teijin, em Nova Casa Verde, distrito de Nova Andradina. A amante da vítima e um comparsa foram presos e confessaram o crime, que teria ocorrido porque Valdomiro ameaçou expor o relacionamento ao marido da autora.

Wesley Evandro Souza Prado, de 31 anos, suspeito de matar uma adolescente durante um assalto em 2010, foi encontrado morto na cela do Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho, em Campo Grande. O caso foi registrado como morte a esclarecer.

O construtor Luiz Carlos Dauzacker, de 75 anos, foi atingido pela tampa de uma caixa d'água, durante ventania em um pesqueiro, e morreu na quinta-feira (14) no Hospital da Vida em Dourados. No dia 18 de agosto, o estava no pesqueiro quando a ventania começou. Com a força do vento, a tampa da caixa d'água foi levantada, voou e atingiu a cabeça da vítima.

Acidente de trabalho

Na madrugada de terça, morreu um adolescente de 17 anos, que havia caído na tarde do dia anterior de uma altura de 10 metros no Centro de Campo Grande. 

O garoto trabalhava em um prédio, quando caiu. Ele foi socorrido após manobras de ressuscitação, mas morreu na .

Na tarde de quinta, Djalma Nogueira Gonçalves, de 58 anos, proprietário de uma oficina mecânica no distrito de Nova Casa Verde, em Nova Andradina, morreu após uma caminhonete em um elevador cair em cima dele. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital.

Ainda na quinta, José Almir Pereira de França, de 36 anos, morreu depois de ser triturado por uma máquina que produz massa asfáltica, em um canteiro de obras, em Três Lagoas. Ele trabalhava fazendo a manutenção das máquinas de uma empresa na MS-320, junto de mais dois colegas, sendo que ele estava consertando as pás do equipamento que produz a massa asfáltica, quando em certo momento um técnico pediu para que o auxiliar ligasse o equipamento.

O colega de José ligou acidentalmente outro botão que ficava próximo do acionamento correto, com isso, acabou ligando o triturador onde estava a vítima, que foi engolida e triturada.

Mortes no trânsito

Caio Vinicius Rodrigues da Silva e Mayara da Silva Nascimento, de 20 anos, morreram após colisão entre duas motocicletas na MS-156 em Itaporã. A polícia investiga o que motivou a batida de frente entre os dois veículos.

Ainda na terça-feira, o adolescente Raphael dos Santos Raiher, de 15 anos, morreu na Santa Casa após ficar internado depois de um acidente, no dia 9 deste mês, no Jardim Morumbi. Outro adolescente era quem conduzia o veículo.

Na noite de terça, o caminhoneiro Paulo, morreu após perder o controle da direção, sair da pista e tombar a carreta na MS-339, no trecho entre e Miranda. A polícia investiga o caso.

Já na manhã de quarta (13), na BR-376, entre e Deodápolis, o caminhoneiro, Arthur Ricardo Nunes Rosa, 26, morreu após batida entre duas carretas. A colisão foi frontal, sendo que o motorista que morreu estava preso às ferragens e chegou a ser retirado, mas acabou não resistindo.

Mário Franco, de 82 anos, morreu após ficar 7 dias internado. Ele foi atropelado por uma motociclista no Bairro Jardim Noroeste, em Campo Grande. O idoso estava trafegando pela Rua Vaz de Caminha no mesmo sentido da motociclista, sendo que em um momento tentou cruzar a rua e acabou atropelado pela motocicleta. Ele teve traumatismo craniano.