Começou nesta segunda-feira (6), o emprego das Forças Armadas para a GLO (Garantia da Lei e da Ordem), conforme estabelece o decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, assinado na última quarta-feira (1º). Nesta manhã, o CMO (Comando Militar do Oeste) informou que realiza 49 operações em Mato Grosso do Sul e no Paraná, com a participação das Agências, Instituições e Órgãos de Segurança Pública Federais e Estaduais.

O decreto presidencial 11.765, autoriza o emprego das Forças Armadas no período entre 6 de novembro a 3 de maio de 2024 e incube ao Exército o ‘fortalecimento imediato das ações de prevenção e repressão de delitos na faixa de fronteira do território brasileiro”.

O emprego das Forças Armadas para a GLO, tem por finalidade o fortalecimento do combate ao tráfico de drogas e de armas e a outras condutas ilícitas. Isso ocorrerá por meio de ações preventivas e repressivas.

Hoje, o CMO realizou a primeira reunião de Coordenação de Segurança Integrada, dentro do contexto da Operação Ágata Fronteira Oeste II. O objetivo, segundo divulgou a assessoria de comunicação, é realizar as coordenações necessárias para a ‘obtenção da sinergia de esforços e efetividade no combate aos ilícitos transnacionais na faixa de fronteira’.

Representantes da Marinha do Brasil, Polícia Federal, Receita Federal, Polícia Rodoviária Federal, Secretária de Justiça e Segurança Pública do Mato Grosso do Sul, Polícia Civil, Polícia Militar do Mato Grosso do Sul, Departamento de Operações de Fronteira, Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras e Divisas, Agência Brasileira de Inteligência em Mato Grosso do Sul, Divisão Regional de Inteligência Penitenciária participaram do encontro estratégico.

Entre as operações coordenadas pelo CMO estão: missões de Posto de Bloqueio de Estrada e Fluvial, Patrulhamento Mecanizado e Motorizado e Posto de Segurança Estático, executadas pela 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, 18ª Brigada de Infantaria do Pantanal, 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada e 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, nos Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná, com a participação das Agências, Instituições e Órgãos de Segurança Pública Federais e Estaduais.