Cessna C210, prefixo PR-XIC, aeronave apreendida em 2020 em , quando era usada para tráfico de drogas, fez um pouso forçado próximo da saída para Cuiabá, em Campo Grande, nessa segunda-feira (2).

Na tarde desta terça-feira (3), equipes da Dracco (Departamento Repressão a e ao Crime Organizado), Seripa IV (Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) e do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) iniciaram as investigações sobre o pouso de emergência.

“Estamos fazendo os levantamentos iniciais”, disse a delegada da Dracoo, Ana Cláudia Medina. A aeronave, usada pela Casa Militar de Mato Grosso do Sul, está em posse do Governo do Estado desde julho de 2022, quando o termo de responsabilidade foi assinado.

Tráfico internacional

Investigações apontam que o Cessna C210 era utilizado pelo escritório do crime do ex-major da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Sérgio Roberto de Carvalho, também conhecido na Europa como “Pablo Escobar brasileiro”.

O ex-major é acusado de chefiar um megaesquema de tráfico internacional de drogas que tinha maior atuação em Rio Preto e . A quadrilha importava cocaína de países vizinhos ao Brasil, por meio de aeronaves, e encaminhava a até portos nacionais. De lá, a carga ilícita seguia de navios para a Europa, camuflada com outros produtos.

Carvalho foi considerado um dos criminosos mais procurados do mundo. Ele foi preso em 21 de junho de 2022 em um hotel de luxo em Budapeste, na Hungria. Em junho deste ano, o “Escobar brasileiro” foi deportado para a sob forte aparato policial. Carvalho está preso desde na Penitenciária de Haren, localizada em Bruxelas.

Saiba Mais