Polícia descarta que rapaz de 19 anos executado no Noroeste teria estuprado criança

A menina foi ouvida e não confirmou os fatos
| 26/07/2022
- 18:23
Polícia descarta que rapaz de 19 anos executado no Noroeste teria estuprado criança
Jovem foi morto com cerca de 10 tiros. (Foto: Nathalia Alcântara/Midiamax)

Nesta terça-feira (26), menina foi ouvida na (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) sobre um suposto caso de estupro. Apontado como autor, Rogério Baez Fernandes, de 19 anos, foi executado na tarde de segunda-feira (25), no Jardim Noroeste.

A denúncia de estupro foi feita no último domingo na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) por uma familiar da menina. A mulher foi chamada com urgência para levar a criança até a Depca, para o depoimento especial, que é feito com acompanhamento psicológico.

Segundo a delegada Anne Karine, da Depca, a mulher não teria levado a criança na delegacia na segunda-feira, mas a levou ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), onde não foi confirmado abuso. O então apontado como suspeito do crime acabou executado a tiros no mesmo dia.

Já nesta terça-feira, o pai da criança a levou até a Depca. No depoimento especial, a menina não confirmou que teria sido abusada por Rogério. Assim, não foi confirmado caso de estupro.

Teria sido executado por dívida de droga

Após o assassinato, irmã detalhou ao Midiamax que a lavava roupas e o rapaz almoçava no quarto, quando homens invadiram a residência e iniciaram os disparos. Rogério foi morto com disparos na cabeça. A mãe teria entrado na frente tentando evitar a morte dele.

“Invadiram [a casa] e mataram meu irmão. Estão falando de estupro, mas ele não é estuprador. Ele é usuário de drogas, acho que devia. Ele escondia as coisas [sobre dívidas de drogas], o que me falaram foi que foi a mando de alguém da cadeia”, disse.

A namorada do jovem disse que estava reunindo a documentação para tentar comprovar a inocência dele. A tia, por parte de pai, teria buscado a criança para passear, na última terça-feira (19), e ainda permanece com a menina.

“Colocaram minha filha no meio dessa história, não sei porquê, mas meu marido não fez isso. Isso [crime de estupro] está sendo usado para despistar. Ele dava amor e carinho, chamava ele até de pai. Ela vai fazer o exame, nada foi provado”.

Assassinado dentro de casa

O rapaz foi assassinado na frente da mãe, que gritava para não ter o filho morto, na Rua da Conquista, no Jardim Noroeste, em Campo Grande. Vizinhos relatam que os suspeitos fugiram em uma moto e em um Gol de cor preta.

Um vizinho detalhou que ouviu a mãe gritar: “Não mata meu filho”, em seguida cerca de 10 disparos foram feitos.

Veja também

Juvenal Moreira de Azevedo, de 65 anos, morreu carbonizado em um incêndio em sua casa...

Últimas notícias