Preso, ex-marido confirma que matou Eloisa a facadas e não demonstra arrependimento

Ele ainda disse que estava muito revoltado quando matava a vítima
| 18/03/2022
- 21:02
Fabiano está preso preventivamente pela morte de Eloisa
Fabiano está preso preventivamente pela morte de Eloisa - (Foto: Ranziel Oliveira)

Fabiano Querino dos Santos, de 35 anos, preso preventivamente pelo feminicídio de Eloisa Rodrigues de Oliveira, de 36 anos, não demonstrou qualquer arrependimento pelo crime. Ele foi detido em Ribas do Rio Pardo nesta sexta-feira (18), escondido na casa de conhecidos, e passou por interrogatório na (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), em Campo Grande.

As delegadas Elaine Benicasa, titular da Deam, e Maíra Pacheco, comentaram sobre a prisão e o interrogatório de Fabiano. “Estava bem calmo e, de certa forma, não demonstrou arrependimento”, disse a delegada Maíra. O acusado teria negado qualquer outra agressão contra a vítima, mas não se preocupou ao confirmar as quatro facadas que terminaram com a morte de Eloisa.

Fabiano insistiu em afirmar que matou Eloisa porque ela mantinha um relacionamento com outra pessoa. No entanto, não soube nem dizer o nome deste suposto amante. A suspeita é de que o acusado tenha inventado tal informação, agindo por motivo fútil. Na noite de quarta-feira (16), o casal cozinhava, quando ele pegou a faca e atingiu a vítima.

delegadas - Preso, ex-marido confirma que matou Eloisa a facadas e não demonstra arrependimento
Delegadas Maíra Pacheco e Elaine Benicasa (Foto: Ranziel Oliveira)

 

Além disso, Fabiano não teria gostado de não ter roupas ou sapato na casa da vítima. Ele também dizia que tinha sido “envergonhado diante da sociedade e da polícia”, por conta dos boletins de ocorrência já registrados pela vítima contra ele, 5 no total. Após as facadas, Fabiano saiu calmamente da casa, enquanto Eloisa gritava por socorro.

As delegadas ainda ressaltam que Fabiano contou que sentia revolta no momento em que dava as facadas na vítima, mais uma vez relatando não sentir arrependimento. Assim, Fabiano atribuiu à vítima a culpa das facadas, que acabaram com a morte e Eloisa na Santa Casa de Campo Grande.

Sobre outras denúncias por agressões já feitas pela vítima, Fabiano negou e disse que não a ofendia nem a agredia. “Disse que apenas a matou”, relatou a delegada Maíra. Como se nada fosse, Fabiano minimizou o fato, mas confirmou o feminicídio, alegando que optou por não agredir a vítima, ao invés disso, escolheu matar.

A polícia aguarda os laudos da faca usada no assassinato, também do local e o laudo necroscópico. Ouvido na Deam, ele será encaminhado para o presídio, por força do mandado de prisão.

Filhos passarão por acompanhamento

Também de acordo com as delegadas, Eloisa deixa 6 filhos, dos quais três são menores de idade. As crianças têm 8, 5 e 1 ano e 7 meses. Destas, as duas mais velhas presenciaram o assassinato da mãe e foram ouvidas em depoimento especial, quando confirmaram que também eram agredidas por Fabiano.

Um boletim de ocorrência foi registrado na Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) por maus-tratos. A princípio, o acusado agredia a menina de 5 anos e o próprio filho de 1 ano e 7 meses. Foi feita recomendação para que as crianças passem por acompanhamento psicológico, por terem presenciado o crime.

Denunciou e voltou a conviver

A delegada Elaine Benicasa ainda ressaltou a importância de deixar o convívio com o agressor, já nos primeiros sinais. “Se separar e não retornar ao lar com o agressor”, disse. Segundo a delegada, Eloisa tinha registrado as 5 ocorrências contra Fabiano e ainda solicitou duas medidas protetivas. Mesmo assim, acabou voltando com o acusado.

“Infelizmente voltavam. Terminavam e voltavam constantemente”, relatou, a partir do que vizinhos e amigos disseram.

Preso na casa de conhecidos

Fabiano foi preso após denúncia anônima feita à Polícia Civil de Ribas do Rio Pardo. Ele foi encontrado na casa de conhecidos e detido por força do mandado de prisão, solicitado ainda pelas delegadas plantonistas da Deam e concedido pela 2ª Vara do Tribunal do Júri. Detido no fim da manhã desta sexta, ele já foi transferido para Campo Grande.

Veja também

Polícia Civil aguarda conclusão do laudo pericial, que pode fazer a identificação por digitais

Últimas notícias