Irmão que matou Patrícia estrangulada já tinha tentado estuprar outra irmã

Homem também já teria tentado estuprar uma adolescente de 16 anos
| 28/05/2022
- 10:10
Irmão que matou Patrícia estrangulada já tinha tentado estuprar outra irmã
(Arquivo pessoal)

Antônio Benites, apontado como o assassino da irmã, Patrícia Benites Servian, já havia tentado estuprar a outra irmã em 2009 e uma de 16 anos, em 2014, que na época era sua cunhada. Antônio está foragido e é procurado pela polícia.

Em 2009, Antônio tentou estuprar uma mulher no Bairro Tiradentes. A vítima estava andando pelas ruas do bairro quando foi surpreendida pelo autor, que a agarrou pelo pescoço e fez ameaças com uma . Ela foi obrigada a ir até um local ermo junto de Antônio.

Mas, com um descuido de Antônio a vítima conseguiu fugir pedindo ajuda a moradores, sendo acolhida por uma vizinha. Antônio fugiu indo até a casa de sua outra irmã, e lá ele que estava com uma faca ameaçou matá-la caso ela não tivesse relações sexuais com ele.

Ele disse para ela que havia tentado estuprar uma mulher, mas como não havia conseguido ela ‘iria pagar o pato’. A irmã de Antônio conseguiu tomar a faca dele e se trancou no quarto pedindo ajuda a outro irmão. O autor fugiu, mas acabou capturado pela polícia momentos depois.

Já em 2014, Antônio tentou estuprar a sua cunhada de 16 anos, na época. Ele se aproveitou que a companheira não estava e entrou no quarto da adolescente deitando-se em cima dela e ordenando que ela tirasse a roupa.

A garota começou a gritar e Antônio foi até a cozinha para pegar uma faca e ao voltar para o quarto fez ameaças. “Para de chorar e não conta para sua irmã o que aconteceu aqui, se não te mato”, teria dito o autor.

Ela contou para a irmã sobre o ocorrido e ainda disse que em outra ocasião, Antônio teria tentado agarrá-la.

Gritos de socorro

Vizinhos chegaram a ouvir gritos, pedidos de socorro e acionaram o Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança). Porém, o crime só foi confirmado por volta das 18h20 da sexta-feira, após a família da vítima localizar o corpo e acionar as autoridades policiais. 

Segundo informações dos familiares da vítima à Polícia Civil, por volta do horário em que teria sido morta, Patrícia enviou áudios a uma cunhada, com a voz emocionada, falando sobre problemas familiares do passado.

Feminicídio

O corpo de Patrícia Benites Servian, assassinada por estrangulamento, na madrugada desta sexta, foi encontrado na casa da vítima, no Bairro Tiradentes. Há suspeita de que a vítima também tenha sido estuprada.

O caso foi descoberto somente no início da noite de sexta-feira (27), quando familiares encontraram o corpo em uma espécie de cova improvisada atrás do tanque da residência.

O irmão de Patrícia, Antônio Benites, é usuário de drogas e teria cometido o crime por volta da 1h da madrugada. Ele passou o dia tentando esconder o corpo da irmã, improvisando uma cova. Conforme familiares da vítima, o homem cavou um buraco atrás do tanque da casa da mulher e encobriu com madeiras.

As informações levantadas pela reportagem dão conta de que o suspeito é usuário de drogas. Ele já tem passagem por estupro e estaria usando tornozeleira eletrônica.

Criança de 5 anos presenciou o crime

Conforme o registro da ocorrência, uma criança de 5 anos, filho da vítima, presenciou o crime. A outra filha da vítima, de 3 anos, também estava no local do crime. 

Segundo relatado ao Jornal Midiamax por uma tia da criança, o menino relatou ter visto a cena do tio matando a própria mãe. 

"Ele veio tremendo, chorando e falou que 'mataram a minha mãe'". Ele ainda detalhou o que presenciou. "O Ninho colocou o joelho em cima dela e começou a enforcar ela", teria contado o menino, que disse ter ficado com medo e saiu correndo.

Veja também

Ronny Ayala Benítez, vulgo ‘Alemão`, segundo comissário da Polícia Nacional, tem prisão decretada em Campo Grande

Últimas notícias