Foi recapturado nesse domingo (11), Edgar Sales, de 39 anos, que fugiu da Unidade Mista de Monitoramento Virtual de , no dia 5 deste mês. Ele apontou uma para um policial penal. Edgar matou a ex-mulher em 2011.

Edgar foi recapturado em Rio Brilhante, a 158 quilômetros de Campo Grande, e levado para a da cidade. Edgar estava se escondendo na casa de familiares. Ele foi preso por policiais do DOF (Departamento Operações da Fronteira). Ele deve ser trazido para a Capital.

No dia de sua fuga, Edgar foi entregar a tornozeleira eletrônica que tinha rompido, mas acabou ameaçando um policial penal com uma arma de fogo e fugindo ao saber que ficaria preso.

Edgar já tinha comunicado que se apresentaria para entregar a tornozeleira que tinha rompido. Ele chegou ainda a ser avisado de que ficaria preso, já que se tratava de evasão. Assim, no local, ele ficou na cela onde estavam os custodiados. Quando o advogado chegou, pediu para falar com ele e alertou que ele ficaria preso. Neste momento, Edgar destruiu a grade do local, sacou a arma de fogo e fez ameaças, apontando para o policial penal.

Até mesmo o advogado e outros que estavam no local se abrigaram, quando Edgar fugiu. Ele levou o celular do policial penal e conseguiu fugir em uma motocicleta. Testemunhas relataram ao Midiamax que viram o suspeito pulando o muro e ainda tentando se esconder.

Assassinato da ex-mulher

O crime aconteceu em 17 de novembro de 2011, no Bairro Alves Pereira, em Campo Grande. Patrícia estava na garupa da motocicleta da irmã, quando Edgar, em outra moto, sacou a arma de fogo. Ele então atirou contra o capacete da irmã de Patrícia, que caiu e fingiu que tinha morrido.

Ela então ouviu Edgar atirar mais 5 vezes contra Patrícia. Quando ele fugiu, a testemunha pediu socorro em uma casa, mas acabou flagrada pelo ex-cunhado, que retornou. Vítima e testemunhas ainda viram o suspeito tirando o capacete e apontando a arma para a própria cabeça, fugindo em seguida.

Patrícia chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Universitário. Edgar e Patrícia foram casados durante 7 anos e tiveram uma filha.

Um dia antes do crime, Patrícia ainda registrou um boletim de ocorrência por ameaça contra o ex porque Edgar não aceitava o fim do relacionamento. Antes do crime, ele cumpria no Presídio de Trânsito até o dia 28 de outubro de 2011.